05 maio 2006

O exemplo inglês

O Primeiro-Ministro inglês Tony Blair viu-se forçado a remodelar o seu Gabinete, em consequência de dois escandalos, que, inclusivamente, valeram uma pesada derrota nas eleições locais de 4 de Maio de 2006.
Um desses escandalos foi resutado de uma "descoberta" onde um dos Ministros foi "apanhado" com uma amante, num episódio digno dos tablóides ingleses. O outro, mais sério e do qual se devem tirar algumas conclusões, foi com o Ministro do Interior. Como resultado de uma falha de comunicação dentro do Ministério, cerca de mil criminosos imigrantes, foram postos em liberdade quando deviam ter sido deportados para os respectivos países de origem. A situação é ainda mais grave porque muitos deles voltaram a praticar os mesmos crimes porque haviam sido condenados.
Esta situação levanta duas questões: uma sobre a natureza das pessoas que praticam crimes e sobre as penas a aplicar, a outra sobre as leis de imigração, serão ou não muito amigáveis?

3 comentários:

ezequiel disse...

3 escandalos: o do Clarke, o do John Prescott e o das finanças pouco transparentes do PTrabalhista.

Há dias o Miguel Monjardino, na TSF, fez uma "análise", da situação na Inglaterra, mais particlmt acerca da saída "surpreendente" do Jack Straw. Respeito a opinião do Monjardino. É um investigador competente mas, por vezes, opta por uma análises de telenovela que me irritam. Segundo Monj, Straw saí pq deve ter feito um acordo com Gordon Brown (ou seja, regressa qd brown for PM). Eu posso estar errado, mas isto é um absurdo. A minha interpretação especulativa é esta: Os Ingleses, mais dia menos dia, vão começar um volte face, mt á inglesa (com as devidas boas maneiras) do Iraque (não vai ser uma retirada brusca. Vai ser um esforço concertado para saír COM os americanos). Este volte face, gradual e astuto, não poderia ser feito por Straw pq straw é mt amigo da Condie e foi ele que presidiu a todo o processo iraque. É mais fácil conseguir uma mudança de política qd entra uma nova personage em cena. Assim, os ingleses podem dizer aos americanos: "Bem, tivemos uma crise interna, tivemos que mudar!! (apesar do coitado do Straw não ter feito nada de errado, mas é apanhado no comboio) A seguir: A crise interna tem mt a ver com o iraque!(logo: Straw out!)

Rui Gamboa disse...

E não achas que o próprio Blair, na sua imagem política, está desgastado? Quer dizer tanto está e ele sabe disso que vai resignar a favor do Brown, mas não estará mais do que ele próprio pensa? Temos que ver estes resultados como uma derrota muito grande para os Trabalhistas que não pode ser explicada com estes escandalos.

ezequiel disse...

sim, os escândalos precipitaram uma crise latente...mas tb não podemos explicar a actual crise sem compreender os escândalos...é uma questão galinha-ovo

A imagem do Blair está de facto desgastada..mas isto já aconteceu antes, talvez não de forma tal grave, e ele recuperou. Blair é um génio político...nunca se sabe! (mas, se tivesse que apostar, diria que chegou a hora da partida)