03 junho 2007

Um Computador Por Criança


Vendo o "60 minutos", programa Americano de jornalismo de investigação, que passa na SIC Noticias e é apresentado por Mário Crespo, tomei conhecimento de um programa idealizado por um senhor de nome Negroponte, que visa dar a cada criança, em todo o Mundo, um computador portátil, e acesso á Internet.

Para tal, desenvolveu um grupo de trabalho, com engenheiros e programadores, para trabalhar na construção de um computador portátil, de baixo custo e muito resistente.

Desenvolveram-no com grande sucesso. Actualmente, cada unidade ainda custa 176 dólares, mas tencionam fazê-lo, progressivamente baixar de preço, até aos, pasme-se, 50 dls. por unidade.

E não se pense que o dito portátil é de “brincar”. Não, é uma máquina de alta tecnologia, resistente á água, areias e calor extremo, com câmara incorporada e colunas, com 3 vezes mais capacidade de captação de rede por satélite, e com novas funções, tais como a possibilidade de se fazerem desenhos numa pequena placa integrada no PC, que passam no mesmo instante para o ecrã do computador.

O governo Brasileiro parece ser percursor nesta abordagem, e tem um projecto-piloto em escolas da cidade de S.Paulo, em que cada criança do ensino básico tem o seu computador de Negroponte.

Estes computadores, têm a particularidade de deixarem de funcionar passadas 24 horas de serem roubados ao seu legitima proprietário. Têm uma autonomia de 10 a 12 horas de utilização, o que no Cambodja, país que também beneficia de um projecto promovido por Negroponte, dá muito jeito, na medida em que não existe luz eléctrica nas casas das aldeias onde este projecto se desenvolve. Mesmo assim, se faltar bateria, o computador tem um sistema de manivela para carregar as baterias, em que 2 minutos bastam para se conseguir mais 12 minutos de utilização.

Penso que a revolução tecnológica a nível Mundial, está mesmo a chegar.

6 comentários:

Rui Gamboa disse...

E mesmo não sendo um projecto para dar lucro, a verdade é que empresas privadas, como a Intel, já estão na corrida.

Talvez seja com base nesses computadores que Sócrates está a criar aquele projecto, onde estudantes e professores têm acesso a pc's por €150. Será que é? Acho que não...

pedro lopes disse...

Também viste este "60 minutos".....

A Intel, segundo Negroponte, está a "estragar o seu projecto", colocando-se como uma concorrente na construção de portáteis semelhantes.

Essa do Sócrates, já me tinha ocorrido.
Não dos PC´s serem os mesmos, mas porque estive para terminar o post escrevendo que, para haver "choque tecnológico", estes são exemplos a seguir. "De pequenino é que se torçe o pepino."

....não me digas que o Sócrates já fez uma encomendas á Intel!!!

H. Blayer disse...

A 1 de Novembro de 2005 escrevia no meu blogue precisamente sobre esse computador (http://zirigunfo.blogspot.com/2005/11/um-computador-por-100-dlares.html) e dá-me imenso prazer, saber que a ideia continua a ser desenvolvida.
Em relação ao Sr. Negroponte (Nicholas), aconselho vivamente a leitura do livro que escreveu, intitulado "Ser Digital".
Já tem uns bons anos, mas continua actual e fala sobre o futuro da tecnologia e do facto de bits serem bits e átomos serem átomos :)

Pedro lopes disse...

Caro H. Blayer,

já li o seu post sobre o sonho de Negroponte, e ali tive oportunidade de referir que não avançamos á rapidez prevista por este idealista, mas caminhamos devagar para uma sociedade realmente global, a nível de acesso ao conhecimento e ás novas tecnologias.

A Intel atravessou-se no seu caminho, no seu sonho, mas espero que o seu programa vingue, e lhe seja reconhecido o mérito de ser o mentor deste ideal global.

Isto sim, é dar ferramentas aos povos mais desfavorecidos, de modo a serem eles os obreiros do desenvolvimentos dos seus países.

É certo que são pequenos passos, mas podem ser sólidos, e contribuir para um despertar de consciências....a outro nível.

Sérgio_Santos disse...

Ora, matando saudades de escrever por estes lados, cá vai...
Também assisti esse 60 MInutos. A frase que mais me maravilhou foi uma em que o Negroponte dizia que o computador nos países de terceiro mundo, era uma fonte de luz. E engraçado que é mesmo. Em tds os sentidos da palavra.

Um abraço e mtos pastelinhos de nata prós anfitriões.

pedro lopes disse...

Também me "congratulo" com o teu regresso, prezado Sérgio.

....as tuas férias ainda foram maiores do que as minhas :)

Sabes que essa frase, o "do computador iluminar os lares" no Cambodja (por exemplo), também me marcou pela sua dupla verdade, como bem dizes.

A ver se comemos uns pastelinhos um destes dias...