11 setembro 2007

Nós Também Pagamos ao INEM!

Recebi, hoje, a factura do seguro respeitante ao meu carro. Existem vários itens que contribuem para o cálculo do valor final da anuidade do prémio de seguro automóvel, tais como o “Bónus”, o “Selo da Apólice”, uma contribuição para o “Fundo de Garantia Automóvel”, entre outros, entre os quais uma taxa respeitante ao “INEM”, suponho que, pelos, eventuais, serviços prestados.

Pois aqui reside o problema. Eu vou contribuir, digo, pagar, 7,58 euros que estão na rubrica do INEM. Mas cá nos Açores, o Instituto Nacional de Emergência Médica, não tem viaturas nem pessoal adstrito, em suma, este serviço não existe, pelo que o meu carro nunca terá um acidente em que as, eventuais, vítimas, sejam assistidas por uma equipa do INEM.

Eu sou a favor de uma solidariedade nacional e social, mas não me parece justo que eu pague por um serviço do qual não vou usufruir.

A solidariedade nacional e social neste caso, deveria funcionar ao contrário, ou seja, já que pagamos este serviço, e sendo ele de extrema importância e de reconhecida oportunidade em caso de ferimentos graves, deveria ser implementado, pelo menos em S. Miguel e Terceira.
Bom seria se, atendendo á nossa especificidade geográfica, houvesse a possibilidade de avançarem rapidamente equipas de emergência médica para outras ilhas em caso de acidente grave e em que seja necessária uma transferência para um Hospital, assegurando, assim, os importantíssimos primeiros socorros. Isto, caso não haja na Ilha em questão uma equipa médica capaz de assegurar os primeiros socorros de suporte à vida.

Agrada-me sobremaneira que o meu dinheiro ajude a salvar vidas no continente, mas preferia que contribuísse, antes, para a criação deste serviço, ou de outro semelhante, cá nos Açores, assegurando uma melhor e mais rápida assistência em caso de acidente.

5 comentários:

Anónimo disse...

Companheiro, cale-se, por amor de Deus, sen�o ainda sobra para si e pior, sobra para mim. Voc� pede o(s) ve�culo(s), algu�m ouve e vossemec� vai ter de o(s) conduzir, pior, eu vou ter de o(s) conduzir. E eu n�o conduzo ve�culos de emerg�ncia m�dica, sem levar uma enfermeira ao lado,�..alta e que se imponha.

Rui Gamboa disse...

Não sabia disso. Já paguei o meu seguro do carro deste ano e, concerteza, também contribuí para o bom serviço que é o INEM, mas que nós não usufruímos. E cá nos Açores não fazia mal nenhum em haver um serviço dessa natureza, antes pelo contrário.

Pedro Lopes disse...

Companheiro anónimo; que ousadia a sua! Mandar-me calar!?

...quanto á sua preocupação; a de sermos nós a tomar o volante destes veículos. Calma, pode ser que a sua pretensão seja satisfeita e, de mártir, passa a sortudo. ;)

Hã..., há genéricos mais baratos do que os seus habituais comprimidos. Experimente.

INEM disse...

Exmo. Senhor Pedro Lopes,

o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), vem por este meio solicitar que consulte o seu e-mail (endereço maquina-de-lavar@sapo.pt), de forma a aceder à informação por esta Instituição prestada.

Melhores cumprimentos.

pedro lopes disse...

Caro "INEM",
agradeço, desde já, o envio do vosso e-mail, onde me esclarecem que a verba em questão é canalizada, nos Açores e Madeira (onde o vosso importante e competente serviço, não existem), para os Serviços Regionais de Protecção Civil.

As minhas desculpas pelo facto de eu não estar devidamente esclarecido em relação á matéria, mas acreditei no que descrevia a factura da minha seguradora.......pelos vistos um erro grosseiro, que vou fazer por alertar.

Mais do que o e-mail que vos enviei, e esta pequena resposta, vou publicar um novo post, com a reposição da verdade.

Sinceros cumprimentos.