30 junho 2009

Tropa de Elite


Já tinha ouvido falar e já tinha visto algumas apresentações. No entanto, tudo foi insuficiente para o impacto que o filme tem.

Tropa de Elite, filme brasileiro que nos mostra a dura realidade da vida no Rio de Janeiro e a contínua guerra civil entre Polícia e criminosos. As quase duas horas mostram-nos o funcionamento interno da Polícia brasileira, por um lado, as dificuldades e a corrupção, por outro lado, a entrega e esforço com que um implacável e restrito ramo da Polícia combate o crime nas favelas, o BOPE.

Um filme violento, tal como é a vida dos polícias e criminosos no Rio. A não perder.

5 comentários:

Anónimo disse...

Indispensável ! Curiosa é o paradoxo da classe média alta Brasileira que querendo ser liberal para o que convém pede por outro lado o securitarismo quando a favela baixa ao centro. Bom filme para muitos e bons debates. De registar que o filme parte de um relato pessoal e verdadeiro.
JNAS

Sérgio Santos disse...

Na mesma linha, saiu há umas semanas o "Autocarro 174" e o "Cidade dos Homens".
O segundo tive a oportunidade de ver e também vale a pena para quem gosta do género.

Cumps.

r. disse...

Sem dúvida, JNAS, fica bem claro no filme esse paradoxo que fazes referência. Aliás, é interessante quando a jovem universitária, logo no começo, elogia os traficantes por esses terem uma consciência social, no entanto são os mesmos que acabam por executar os seus próprios amigos.

O filme remeteu-me para o debate sobre a liberalização das drogas leves. Sendo certo que os criminosos também traficam cocaína, a verdade é que grande parte do seu negócio é a "maconha". Ora, aquilo que se constata no filme é que a guerra está perdida para as forças policiais. Com a liberalização da droga leve e consequente passagem da revenda para agentes autorizados pelo Estado (retirando-se daí proveitos fiscais, tal qual o álcool e tendo um controlo mais efectivo do uso pelos jovens), os criminosos perdem uma das suas maiores fontes de rendimento e de poder.

No entanto, a economia paralela da venda de droga, de que beneficiam altos quadros governativos, como também se vê no filme, jamais permitirá que se avance com tal projecto, pois perderiam lucros astronómicos, limpos de impostos.

A luta contra o tráfico de droga é uma guerra perdida, da forma como está a ser travada. Olhando para a fase da Lei Seca nos EUA, comprova-se que foram as famílias da Máfia que mais beneficiaram e que com a liberalização do consumo do álcool, o seu poder começou a decrescer. O mesmo deve ser feito com as chamadas "drogas leves" actualmente.

Menina da Rádio disse...

belíssimo, sim senhor...

Paulo Mendes disse...

Aproveito a "boleia" para recomendar vivamente o filme