15 outubro 2009

Da Vitória de Berta Cabral

É muito antigo: “uma mentira contada até à exaustão, passa a ser verdade”. E é contando com essa premissa que socialistas, não-socialistas e outros vão inventando e omitindo todo o tipo de questiúnculas sobre o discurso da Presidente do PSD-Açores, no Domingo passado, numa tentativa vã, mas sintomática, de amenizar o mal estar que Berta Cabral provoca neles todos (socialistas, não-socialistas e outros). Antes de mais, esse mal estar deve ser entendido pela Presidente do PSD-Açores como motivo de algum regozijo, pois é o reconhecimento do seu valor, mas também deve servir para a própria saber com quê e com quem pode ou não contar.

Sobre o discurso da Presidente do PSD-Açores pouco há a dizer, na verdade. O facto é que Berta Cabral acumulou, nestas eleições, a funções de líder do PSD-Açores e de recandidata à Câmara Municipal de Ponta Delgada. Nestes 15 dias de campanha andou pelas 24 freguesias do Concelho, como se pode comprovar no seu site e ainda teve tempo de viajar para fora de S. Miguel um par de vezes. Os resultados, como sabemos, foram muito positivos em Ponta Delgada e pouco positivos na maior parte dos restantes Concelhos, daí que seja normal que no Domingo Berta Cabral estivesse dividida e que o seu discurso reflectisse essa situação.

Recordo, assim de cor, algumas das suas palavras “a minha primeira palavra é de solidariedade e vai para os que não venceram”. Só com manifesta má fé é que se pode ignorar tão importantes palavras. De resto, como todos sabemos, as Autárquicas são 19 eleições e naquela em que esteve directamente envolvida, como candidata à Câmara de Ponta Delgada, Berta Cabral venceu indiscutivelmente, inclusivamente venceu em Freguesias onde o PSD perdeu as Assembleias de Freguesia. Isto só pode ser entendido como um sinal claro que as pessoas dão o valor e o mérito a Berta Cabral. Os adversários de Berta Cabral leram os resultados de forma realista, viram que o eleitorado reconhece que a Presidente do PSD-Açores é a mais-valia para os Açores actualmente e, evidentemente, agiram “contando uma mentira até à exaustão”. Não funciona, porque o eleitorado é sábio!

6 comentários:

Anónimo disse...

A berta foi a grande vencedora da noite! Mais não seja porque venceu na rua dela!
Vitória estrondosa!!! Os restantes foram os grandes derrotados da noite!!
Ainda dizem que o PS não concorreu a PD, más línguas!

geocrusoe disse...

De qualquer forma, Berta após as últimas eleições terá de olhar os Açores de uma forma muito diferente e adaptar-se a uma nova realidade com grande alterações no modo de gerir a sua estratégia.

Bruno Conceição disse...

...e 2012 está a aproximar-se cada vez mais!!! esta data está a causar grandes (diria mais, enormes) dores de cabeça lá para os lados da rosa... como o César é Homem de palavra, não irá, concerteza voltar a trás com a sua e terá de, brevemente, anunciar sucessor! Será o Sucessor o pequenino e contente "Sempre em Pé"? Será o Lobo com pele de ....??? a ver vamos, lindo, lindo era adopção de uma sucessão dinástica onde teríamos o chico (esperto) como candidato! A ver, vamos!!!

Anónimo disse...

ninguém ganha eleições por controlo remoto, ainda faltam três anos para que a berta concorra, até lá muita água escorregará ribeira abaixo, bolieeiro assustará com as contas da câmara, não há mais dinheiro vindo das licenças de obra, não muito mais obras para licenciar, pôrra eu diria que vai ser o fim da macadada e do munod para apenas manter a pose e a aparência, ou como diria o meu amigo Vasco: "este leite de cabra está podre"

João Cunha disse...

Não penso que as autárquicas sirvam de barómetro para eleições de âmbito mais global.

É verdade que Berta Cabral ganhou o acto eleitoral onde participou, mas também é notório que a percepção geral do povo açoriano é de que o PSD perdeu... e como sabemos, a percepção de vitória/derrota é mais de meio caminho para que a mesma se torne realidade.

Rui disse...

Como a própria Berta Cabral também disse, caro João Cunha, o PS também não venceu a maioria das autarquias durante muito tempo e ia vencendo legislativas regionais. Tem valor? Sim. Mas que é relativo, lá isso é.

No entanto, aquilo que me faz espécie é essa tendência para dizer mal do discurso. Começou logo pelos "analistas" que estavam na transmissão da RTP-Açores (que, já agora, foi mt boa) a dizerem que não falou aos que não venceram, o que é falso, e dps continuou e continuou e é como disse no post, uma mentira repetida até à exaustão corre o risco de passar a verdade. Mas neste caso, só passará se deixarmos.