20 julho 2010

SATA Rally Açores - Vale a Pena?

Foto: Ricardo Nascimento (Rally Azores)


Quem conhece este blogue, sabe que sou um apaixonado pelo desporto automóvel, pelos ralis, em particular. Só que temos que pensar além do espectáculo dos breves segundos em que os carros passam e ver se este modelo do SATA Rally Açores vale a pena.


Apesar do sucesso desportivo do SATA Rally Açores – que poderá ser, no entanto, discutível, dado baixíssimo número de participantes na prova – e do impacto que tem na população de São Miguel, que enche os troços e segue os pormenores da prova ao segundo, há uma questão que parece estar a ser algo sobrevalorizada: a promoção dos Açores, enquanto destino turístico, devido às imagens no Eurosport.


Ora, o Eurosport é, desde logo, um canal temático, com um público-alvo muito restrito. É verdade que chega a milhões de casas na Europa, mas não deixa de ser um canal desportivo. Que eu saiba, o Eurosport dedicou meia hora, em cada dia, ao SATA Rally, passando em horários pouco apetecíveis, do ponto de vista do fuso horário central europeu. Além disso, o site do Eurosport tem dois vídeos de 2 minutos cada sobre o SATA. Ponto.


A beleza das imagens não está em causa, antes pelo contrário, qualquer pessoa, em qualquer parte do mundo, perde a respiração perante as imagens da cumeeira das Sete Cidades. A questão que se levanta é se aquelas breves imagens são suficientes para trazer visitantes aos Açores. Partindo do princípio que sim, que uma pessoa, ou uma família, sente-se totalmente atraída por aquelas imagens, ao ponto de querer logo vir aos Açores, será que depois resistem aos altos preços das passagens? E se sim, se são pessoas com poder financeiro, estarão dispostas a ficarem em hotéis de 4 ou 3 estrelas, uma vez que não há melhor oferta nos Açores? Aliás, esta é uma questão importante, o facto de termos passagens caras, deveria querer dizer que procuramos um turista endinheirado e não o turista de massas. Porém, em termos de infra-estruturas, o que temos é oferta para o turista de massas e nada para o turista de classe. Contraditório. Sem surpresa, denota falta de estratégia.


A questão do SATA acaba por se resumir ao retorno do investimento feito. Quanto custa fazer este Rally? Segundo o Presidente do Governo Regional, referindo-se ao Rally do ano passado, "os apoios provenientes da Administração Regional ou das empresas que estão associadas ultrapassa 1 milhão e 300 mil euros e esse montante pode até ser superior". Um milhão e 300 mil euros em 3 dias? Certamente há mais valores envolvidos, vindos de dinheiros públicos, mas partindo do princípio que é mesmo este valro, que retorno há para os Açores a não ser os gastos que as equipes fizeram nos dias que cá estiveram? Há outro retorno. O orgulho que nós, açorianos, temos em ver as nossas belas paisagens serem transmitidas para meio mundo. Se isso se reflectisse em factos reais...

41 comentários:

Jordão disse...

Gostei, principalmente dessa parte:
"Aliás, esta é uma questão importante, o facto de termos passagens caras, deveria querer dizer que procuramos um turista endinheirado e não o turista de massas. Porém, em termos de infra-estruturas, o que temos é oferta para o turista de massas e nada para o turista de classe. Contraditório. Sem surpresa, denota falta de estratégia."

Estratégia foi coisa que nunca houve por esses lados.

Eu, tal como tu, sou um adepto de rallyes, sou capaz de gastar férias, dinheiro e tempo para ver meia dúzia de curvas, e como nós há por aí milhares, ou milhões e a acredito que há muitas possíveis visitantes cujas imagens ajudaram a convencer ainda mais que fazer turismo nos Açores vale a pena. E vale mesmo a pena. O problema é que é caro. Muito caro mesmo.

Anónimo disse...

Se é bom é caro. Como tudo. E apesar de não haver estudos conclusivos sobre se há ou não retorno dos dinheiros públicos gastos, o que não deve deixar de merecer a atenção de todos, o certo é que, os jornalistas e comentadores acreditam nisso. É bom que seja verdade.Bom para todos, para os amantes do desporto automóvel e para a economia dos Açores. Há que ter uma perspectiva positiva. Os velhos do Restelo não trazem nada de bom.

Rui disse...

Pois, Jordão, efectivamente há muita gente que é capaz de viajar para ver um rali. A questão é, como dizes e como eu digo no post, se aquelas imagens, aliadas à nossa oferta/preços de passagens, se fazem alguem vir.

Anónimo disse...

É preciso é ralins, conjuntos e bola...e a festa continua.

Anónimo disse...

O tempo de antena das imagens do rallye não se centram só nos programas que passaram meia hora em horário "pouco apetecível" na eurosport. O que vai gerar impacto é o buzz (boca a boca) e a proliferação das imagens nas redes sociais mais conhecidas (facebook, youtube, etc). Tais imagens vão-se espalhar de um modo viral, aliás, como tem vindo a acontecer desde a edição do ano passado. Resultado? Açores na boca do mundo...

Marina daVila disse...

Estes anónimos devem andar deslocados do mundo terreno. Um diz que não há estudos conclusivos, quando queria dizer que não há estudos pura e simplesmente. Agarra-se numa pipa de massa, dá-se aquele senhor do Comercial e ele que faça o que quiser. Contas para quê? O dinheiro é público.
O outro fala em "buzz" (bebida/bebedeira) e acredita na Carochinha. Não não vale a pena o rally porque não há retorno para a Região.
já parecem as viagens cá do nosso Cordeiro às Caraíbas...

Rui disse...

Ao anónimo das 17.50,

O rali do ano passado teve o mesmo impacto nos nossos potenciais visitante do que o deste ano? É correcto fazer essa afirmação? Se sim, como se explicam as constantes quebras nas dormidas nos Açores? A crise?

Os Açores na boca do mundo, é como eu disse, é bom para o nosso ego, mas isso traduz-se em resultados práticos? Os factos dizem-me que não. Se me disserem que sim, sou o primeiro a dizer faça-se, aumente-se o investimento. Infelizmente, não é esse o caso.

Anónimo disse...

Os milhões para o Santa Clara ao longo de mais de 10 anos é que trazem turistas aos Açores.

A(s) besta(s) que dizem que são só três dias de rallye estão-se a esquecer da semana que antecede a prova. Combustível, rent-a-cars e alimentação lucram muito. Esta gente não vai passar fome.

Rui disse...

Aqui a "besta" deixou bem claro que o unico lucro visivel é o que as equipes deixam na semana anterior.

Quanto ao sta clara, uma coisa ma nao invalida outra.

Ricardo disse...

Segundo alguns estudos, as dormidas não estão más na região. Os hotéis mais caros, talvez, mas ainda temos algumas residenciais acessíveis e são cada vez mais, o número de espaços para turismo de habitação e rural que raramente estão vazios.
Quanto ao eurosport, embora seja um canal temático dedicado ao desporto, os milhões que viram as imagens nas suas televisões, conhecem centenas de pessoas ou pelo menos, conseguem ter contacto frequente no dia a dia, com algumas dezenas de amigos e conhecidos. É um excelente meio de divulgação e mesmo aqueles que não conseguiram ver na sua tv, as imagens do eurosport estão sempre disponíveis em vários websites por tudo mundo.
Tenho contacto com dezenas de pessoas no estrangeiro e estas, deixaram claro que as imagens impressionaram muito mais este ano do que em 2009.
Só acho que alteração da data para Julho, não foi a melhor mas sim, a que foi possível. É verdade que foi próximo da data habitual de outras edições mas, o mês de Julho não é a melhor altura para promover rally na televisão pois, por ser verão, muitos não estão em casa à noite e outros estão de férias noutros locais.
A data ideal, seria no fim de Maio ou inicio de Junho.

Anónimo disse...

Esse desporto, caro, ruidoso e poluente, tem pouco ou nada a ver com os Açores, com as suas paisagens e com a nossa identidade.

Deveriam sim apostar em desportos não motorizados.

Ricardo disse...

Para o último anónimo...
A opinião é como olho do cú, ou seja, toda a gente tem.
O rally é um desporto com muita tradição nos Açores. As imagens divulgadas também levam à promoção de desportos como o BTT, downhill, ou mesmo, o parapente.
Já a porcaria do nosso futebol, que também se gasta imenso dinheiro, não vale nada e não tem interesse nenhum a não ser nas freguesias locais.

Rui disse...

Ricardo,

Os números das dormidas nos Açores têm vindo a baixar. E esta é a única medida objectiva como podemos aferir do impacto positivo do Rally na economia Açoriana. Não há outra forma objectiva. Sim, é bom e engraçado que as nossas imagens estejam no eurosport e tudo mais, mas temos que falar em termos de retorno de investimento.

http://www.rtp.pt/acores/?article=10903&visual=3&layout=10&tm=5

José Castro disse...

Desporto ruidoso é o espirito santo e as suas roqueiras lançadas a altas horas da noite. Desporto ruidoso é o bebedouro a céu aberto da berta cabra e do anima dec mota.

Desporto caro é o Santa Clara e companhia.

Desporto poluente é aquilo que os anónimos fazem nos blogues.

Ricardo disse...

As estatísticas referente à actividade turística nos Açores e no Território Nacional (TN), relativas ao mês de Maio, saíram esta semana e os resultados foram positivos.

Nos Açores as Dormidas cresceram 1,9% (no TN foi 0,4%) e os Proveitos Totais subiram 3,4% (foi 4,6% no TN). No acumulado do ano (Jan-Maio) as Dormidas ainda têm um crescimento de -6,9% cá nas ilhas (-0,3% no TN) e os Proveitos Totais sobem -5,3% (+0,6% no TN). Relativamente à Taxa de ocupação atingiu um valor superior na Região autónoma que no TN, 41,2% (+2,5%) contra 39,4% (-0,2%).
Entrando mais em detalhe no que aos Açores diz respeito, e aos nossos mercados emissores, os Residentes em Portugal puxaram-nos para cima (as suas Dormidas subiram 9,6%), enquanto que os Residentes no Estrangeiro vieram em menor número (com Dormidas 4,5% a menos). De Janeiro a Maio são os Suecos que mais nos penalizam com decréscimo na ordem dos 18%. Aliás, o seu peso na nossa Região desceu para 3º lugar no acumulado anual, referente aos estrangeiros. Não posso deixar de referir a boa performance da Finlândia que aumentou em quase 11% nesse mesmo período.
Os cenários também são diferentes de ilha para ilha. Resumindo e relativamente a Maio e às Dormidas, as ilhas de São Miguel e da Terceira foram as únicas com decréscimo (de 3,8% e 5,6%, respectivamente), enquanto que as restantes registaram subidas com destaque para os +277,8% nas Flores e os +161,4% na Graciosa. Apesar das duas primeiras ilhas terem um peso de 87% neste critério as outras 7 ilhas conseguiram, através das suas prestações, puxar a média regional para cima em 1,9% (tal como referi no início). Na Taxa de ocupação a única ilha acima da média, no mês de Maio, foi a de São Miguel com 47%, tendo as restantes valores nos 30%, com excepção de Santa Maria que teve apenas 16,8% ainda assim supeior que no ano passado. Como disse os Proveitos Totais acumulados caem 5,3% nas ilhas devido às prestações negativas de São Jorge, São Miguel e Terceira (-24,8%, -10% e -8,8%, respectivamente), enquanto as restantes têm aumentos na ordem dos 20% (Graciosa tem +176%).
Contextualizando os Açores com o TN. Relativamente às Dormidas só o Algarve e a Madeira é que tiveram prestações negativas, com -1,7% e -15,1%, respectivamente. O Norte e Lisboa, ambos acima dos 8%, destacaram-se pela positiva. Algarve e Madeira foram as regiões mais penalizadas com cancelamentos de voos devido ao vulcão islandês de mercados que têm algum peso na sua actividade turística como é o mercado britânico. Na Taxa de ocupação as regiões de Lisboa e as insulares foram as únicas acima da média nacional que foi de 39,4%. Nos Proveitos, que subiram 4,5% no TN, só a Madeira teve um comportamento negativo de 16,1% e pela positiva estiveram o Alentejo e o Algarve com subidas acima dos 11% neste critério. O Rendimento Médio por quarto (Rev Par) em Maio atingiu 30,1€ (+1,8€).Lisboa mantém a liderança neste indicador com os seus 50€ (quase), seguida dos Açores e Madeira. Em termos homólogos, só a Madeira registou um decréscimo no Rev Par (-12,8%), enquanto que o Norte, o Algarve e o Centro registaram os maiores aumentos (cerca de 13% Norte e Alg. e 10% no Centro).

Vitor Ferreira

José Castro disse...

E ainda estou há espera dos aviões fretados pelo Benfica, Porto e Sporting para trazer os seus adeptos aos jogos do Santa Clara. De tanto esperar já me deitei.

Ricardo disse...

Se as passagens de avião daquela companhia sem concorrência que por sua vez, está feita com outra lá do continente, fossem mais acessíveis, teríamos de construir mais hotéis ou pelo menos, o Hotel Casino que vai abrir no dia do São Nunca, já poderia esta a funcionar.
Ainda em relação ao rally, falei com varias pessoas do estrangeiro, dizendo que era extremamente caro em vir cá e com muita pena deles e minha, a culpada são as nossas companhias aéreas.
Um deles, disse não compreender como foi da República Checa para o México com passagem e alojamento incluído, por apenas 400€ e para São Miguel, tinha de desembolsar o mesmo só com a passagem de avião.

Cabeça de Touro... disse...

Se eu fosse governante acabava com os apoios a essa roncaria!

O Carlins deve estar doido da cabeça!

Anónimo disse...

Tu queres é toiradas maricon...

José Saramago disse...

Finalmente o Cabeça de Touro disse uma coisa correcta. Bendita cabeça!

Anónimo disse...

Outro mariconço, o saramagalho.

José Castelo Branco disse...

Então e eu?!!!! Insulte-me, por favor, sua bicha disfarçada!

Anónimo disse...

O que tu queres sei eu...

Anónimo disse...

O cabeça de touro corno, o saramagalho e o castelo branco nos lábios querem é novelas na TVI de 5º categoria, seus pacóvios!

Anónimo disse...

Devem ser amigos da Berta Cabrá. Viva, Viva a Berta Cabrá.

Anónimo disse...

Viva o anima dec motta!!!

Briosa campeã disse...

Assim de repente, não estou a ver nenhum investimento desportivo que tenha um retorno que cubra esse investimento. Nem mesmo o futebol. Basta olhar em volta e ver que lucros isso traz. No entanto, o desporto, assim como a cultura (se é que não podem ser metidos no mesmo saco), não são apoiados, ou promovidos, tendo em conta o lucro. Parece-me.
Andei 3 dias do rali na estrada e estive ao lado de pessoas da Madeira, da Terceira e do Continente. Pode ter sido sorte, mas pelos vistos parece que este rali não é de todo só para micaelense ver.

Cumps.

Anónimo disse...

Se essa gente não veio a nado, se dormiu, comeu e bebeu cá, sempre deve ter gasto algum. Ou não? Ou será que os gastos com as festas do Divino da Berta Cabrá trazem mais e maiores valias para a economia regional? Só se for na expansão da economia do vinho de cheiro....
Derta Cabrá, Berta Cabrá

Rui disse...

Brisa campeã,

Se notar, a qeustão que eu levanto é apenas e só dos muitos comentários que se ouviram, nestes dias, sobre as imagens do rali e as potenciais visitas que viriam devido ao eurosport. Isso não pega. Se disserem que é um investimento para não ter retorno, óptimo, já sabemos ao que vimos.

Mas comparação com a Cultura é injusta, na minha õpinião. A Cultura é aquilo que define um povo, daí que eu veja com muita relutância investimento na Cultura que certas pseudo-elites julgam ser a melhor para as pessoas. O Desporto, nessa perspectiva do investimento e retorno, deve ser visto como inevstimento para a formação dos jovens.

Porém, não sou necessariamente contra os apoios ao Santa Clara e a outros clubes de futebol, desde que sejam claros e, acima de tudo, bem aplicados. Infelizmente, não é isso que se vê. O investimento no futebol é justo, na medida em que é o desporto pricipal nos Açores.

Haverá sempre algum retorno. Não tem que ser monetário. Se me falarem que as imagens do Europort trazem visitantes, aí eu espero que esse retorno se traduza em visitantes, pois claro. Mas se o investimento for em futebol de formação, aí espera-se que o retorno seja o afastar dos jovens de maus hábitos, etc. Ou seja, havendo uma estratégia global, são todas áreas qeu acabam por tocarem-se e o investimento em desporto, passa a ser também investimento contra as dependências e consumos de droga, por exemplo.

Anónimo disse...

Festas no Kampu são o melhor investimento contra a dependêndia do alccol e da droga.

Cabeça de Touro... disse...

Não provoquem o Cabeça de Touro senão ainda levam com uma cabeçada nos cornos, seus farfalhas mal amanhados!

José Saramago disse...

Ò Touro, estás com boas saídas. Aquele anónimo das 12:18 e que se repete anda a precisar de ti para uma boa cornada central

Kik disse...

Boas Rui,

Estás convicto que é um investimento sem retorno, sem turistas portanto sem fundamento, eu diria que é mais um investimento como tantos outros, este pelo menos tem uma projecção muito acima da média e dimensão europeia, além disso promove as nossas paisagens, a base do que deve ser a nossa promoção turística, ao fim ao cabo o que nos distingue dos outros destinos.

Não faltam exemplos de investimentos discutíveis, contestados blábláblá mas esperar que apenas um deles fomente o desenvolvimento do turismo é uma utopia, todos são úteis para passar a mensagem Açores.

O milhão que a SATA teve de lucro, quiçá influenciando negativamente a chegada de turistas aos Açores, chega para pagar o Rally!

Anónimo disse...

Santa Clara recebe 2,2 ME por palavra Açores.

Andamos todos a ser enrrabados e não é pelo cabeça de touro corno ou pelo saramagalho....

Rui disse...

Pois, Kik, a questão é que, como já disse antes, uma coisa má não pode justificar outra. Ou seja, lá porque há maus investimentos noutras áreas, não se pode fazer maus investimentos no rali.

Dizes que todos são para passar a mensagem Açores? E isso acontece? Há uma política concertada entre todos os intervenientes do sector para promover o nome Açores e, bem assim, o Turismo? Hoteleiros, restaurantes, agentes de viagens, companhia aérea, governo, etc., estão todos alinhados? Percebem todos que o importante é um interesse mais alto, que não o seu próprio?

Sobre o milhão que a SATA teve de lucro. Desde logo, é estranho. Depois, é, se pensarmos bem, um bocadinho chato para quem anda a pagar esses preços absurdos de passagens. E, por fim, esse suposto lucro da SATA não pode ser, de todo, incluído na questão que é aqui levantada (ou poderá, mas apenas numa muito pequena parte). O único retorno que o rali tem, em termos práticos, é aquele que os seus responsáveis quiseram vender durante esses dias: que se vende a imagem Açores e isso tem como consequencia a vinda de visitantes aos Açores.

O mais incrivel disto tudo é que, os Guia Oficial do Rally continua, ano após ano, com erros injustificáveis (até a chegada num dos dias era em Angra do Heroísmo ?!?). E, mais importante, todos anos fala-se em estudos e relatórios sobre os gastos/ganhos do rally e nada.

Anónimo disse...

Santa Clara recebe 2,2 ME por palavra Açores.

Andamos todos a ser enrrabados e não é pelo cabeça de touro corno ou pelo saramagalho....

Kik disse...

Rui,

Primeiro eu não considero o rally um mau investimento, antes pelo contrário.

As mensagens promocionais passam sempre, podem é não ter os resultados que ambicionamos mas isto por si só não define logo se um investimento é bom ou mau, não existem promoções turísticas com resultados instantâneos, tendencialmente são investimentos de m/l prazo. Além disso existem muitos outros factores que influenciam directa e indirectamente a procura.
Agora, sobre a política concertada basta ir à BTL, depois das câmaras municipais só falta ver as freguesias a fazer promoção per si, e olha que não deve ser barato!

Não se pode desviar a questão da acessibilidade (SATA) desta discussão, não é uma pequena parte como dizes mais sim a parte fundamental de Como chego lá?, é impressionante a quantidade de pessoas que não consideram vir aos Açores pelo preço das passagens ou pior, quando até estão disponíveis para pagar não existem lugares.

Cristiano Reinaldo disse...

http://iris.cpidt.pt/sportmotores2003/do?com=DS;203745652;101;+PAGE(1002)++K-NOTICIA(29557);

Anónimo disse...

Sata: Equipas ainda não desembarcaram no continente

Data: 21/07/2010 22:06

Terminado o Sata Rali dos Açores, para as equipas estrangeiras e continentais foi tempo de meter tudo num barco para que o material rumasse a Portugal. Tudo tem de estar embarcado no final do mês rumo à Madeira.

Hoje era o dia para o desembarque no porto de Setubal, e na verdade o barco atracou, saiu um camião... e o processo de desembarque parou! Ficou tudo em stand-by por ordem do armador, o qual estava ainda à espera do pagamento do transporte de ida e volta que deveria ter sido assegurado pelo organizador da prova ou alguém ligado a este. Sem pagamento, o único camião que saiu do barco, voltou a embarcar e o navio zarpou para ficar ao largo de Setubal a aguardar uma resolução.

A aguardar uma resolução estão também as equipas, mas em terra. Segundo uma das diversas fontes ligadas às equipas que o "SportMotores.com" contactou, "temos a informação de que amanhã de manhã estará tudo resolvido, pelo que toda a gente está aqui (Setubal) a aguardar pelos desenvolvimentos."

A situação complica-se para as equipas estrangeiras que vão fazer o Rali Vinho da Madeira. Segundo a mesma fonte "estão muito pouco contentes com a situação, porque alguns têm milhares de quilómetros para fazer e pouco tempo disponível."

Entretanto o Clube Sports da Madeira divulgou como será feito o transporte das estruturas para o rali Vinho da Madeira. A situação de impasse com o armador do ferry "Armas" foi resolvida, com a organização a recorrer a navios convencionais. O embarque para a Madeira será feito a 30 de Julho nos portos de Leixões e Setúbal


José António Marques

Açoreano na Madeira disse...

O dinheiro que o governo regional dos Açores actualmente gasta no Rallye dos Açores é das maiores burrices que se tem feito. Quando este campeonato de rallys europeu já está moribundo (já ninguém liga a essa porcaria), até a Madeira já está a desinvestir e este ano 2011 simplesmente mandou o eurosport e o IRC irem passear pois existem promoções mais baratas e com mais efeitos. Interessou foi nos anos 70, 80, e 90 que era quando até as lojas da baixa fechavam no Funchal para os donos irem ver o rallye, e quando o campeonato europeu de rallys tinha peso e popularidade na Europa e no mundo. E ficaram nos Açores todos muito contentes por finalmente terem entrado no IRC, quando o que aconteceu foi que as outras regiões desinteressaram-se depois de dezenas de anos a sustentar o campeonato da Europa, agora pomposamente disfarçado de "IRC", e agora sim houve espaço para os Açores. É como ficar contente com os restos dos outros e ainda por cima a lista de inscritos deixa sempre muito a desejar. Mais valia investir no futebol. Promoção garantida o ano inteiro no país, porque o turismo nacional é que tem peso nos Açores.

Anónimo disse...

Olha o mamadeiro! A Mamadeira está de cú de fora!