27 novembro 2010

Ordenados e Reformas

A dívida de Portugal situa-se nos 150€ mil milhões;
O ordenado médio do trabalhador português é, à volta de, 900€;
A população activa em Portugal: 5.5 milhões;
Se o Estado retivesse o 13º mês, faria um encaixe de 4.95€ mil milhões.

Apesar de concordar que existem ordenados absurdamente altos em Portugal e nos Açores, como são os dos administradores das empresas públicas, a verdade é que, perante estes números, se a dívida de Portugal fosse, por exemplo, uma viagem entre Ponta Delgada e o Nordeste (70kms), reter o 13º mês daria gasolina para chegar ali à rotunda de Belém (2.2kms).

6 comentários:

Nuno Barata disse...

Pois Rui só que os 70 Km até ao Nordeste são deitos de muitos 2.2 Km. Nessa ordem de ideias não se corta em nada porque não há corte que chegue aos 150 mil milhões.

Cabeça de Touro disse...

Este Rui é uma grande «cabeça»!
É uma cabeça do PPD amogangado!

Rui disse...

A questão, Barata, é que fala-se disso dizendo que é a solução que poderá salvar tudo, como já aconteceu no início dos anos 80. E é claro que não.
Achas que reter o 13º mês seria uma hipótese? Retirar dinheiro da economia? Abrandar o consumo? E para quê, para fazer 2.2kms de 70kms? Valeria a pena? Acho que não!

Amaricano de Manchaxucha disse...

Tirar o 13º, e também o 14º!

Na América não há essas merdices!

Anónimo disse...

Se retirarem o l de Mello e o ez de Garcez, talvez o zé polvinho gastasse menos em alfabetização... onde já se viu, que tal Gamboa passar para Gambozinooo, teve graça... ha ha ha

Anónimo disse...

Na América paga-se à semana. O resultado monetário se acontecesse cá era superior para os trbalhadores