04 janeiro 2007

Quatro Dias, Duas Broncas

Para dar, , algumas respostas aos meus próprios comentários acerca do assunto, "Sata assegura ligação aérea Porto Santo- Funchal", pelo menos até Maio deste ano, dou conta aqui, de duas noticias que se produziram em apenas quatro dias.
Interpretei as noticias, como uma consequência da falta de um ATP da SATA, a voar nos Açores, pois encontra-se algures "entre" Porto Santo e Funchal, assegurando, agora, o défice desta rota aérea, em nome do serviço público.
Quem começou a sentir o sacrificio deste "serviço público", foram os Açoreanos.
A saber;
1º- logo a abrir o ano (e a nova rota PS-Funchal), ficaram 365 passageiros (dos/nos Açores) sem ligação com as suas Ilhas e/ou destinos, pois não havia o habitual avião de substituição para fazer face a uma avaria ou contratempo com os outros dois ATP´s ao serviço da "nossa" companhia aérea Regional.
2º- hoje, de novo no nosso telejornal, nova noticia dando conta de que vários passageiros, em especial com destino às Flores, tinham chegado sem as suas bagagens, seguramente devido à falta do outro ATP , e dos constrangimentos que a sua falta, ainda estão a causar.
Este ainda, é tanto mais cruel, quando pensamos que ainda só passaram 4 dias deste que nos subtrairam o nosso terceiro ATP.

11 comentários:

Rui Gamboa disse...

Não há razões para preocupar. A SATA já ameaçou a UE, através do Governo, que queria 60 milhões de euros para a nova frota de aviões, acrescentando que só esperaria até ao final do trimestre (agora a sério, não percebi o que Cansado quis dizer com nós só esperamos até ao fim deste trimestre, parece que só dá essa hipótese à UE de "pagar" a nova frota). Portanto nessa altura haverá aviões novos para tudo.

Já agora, nessa notícia do AO, Rui Apresentação diz que as companhias aéreas têm o direito de cancelar vôos quando têm poucos passageiros, mas a SATA não recorre a isso por estar 'presa' ao serviço público. Bom, seria apenas justo apresentar ao Apresentação que o "Serviço Público" é a única razão que a SATA tem para existir, porque se ele quiser que a SATA funcione num ambiente competitivo aberto de mercado, então a única e fraquissima razão para os preços exorbitantes que eles praticam, desapareceria e acarrateria, também, a entrada de outras empresas nesse mercado.

Quando lhes convém, lá vão buscar o divino serviço público para justificar o seu monopólio, quando precisam de justificar as 'burradas' que fazem a culpa é do demoníaco serviço público.

Como diz a Maria Corisca: passa fora!

claudio almeida disse...

lembra-me um episódio que se passou a cerca de dois anos, na altura em que eu era presidente da FRAESA (Federação Regional de Associações de Estudantes do Ensino Secundário dos Açores).
Tava eu numa bela manhã á espera do Secretário da Educação para uma reunião em Pont Delgada, a sua secretária disse-me que ele estava atrasado porque estava na terceira. De tarde regressei para saber se já cá estava. e já!
disse-me que tinha atrasado porque não havia passageiros na SATA para vir para cá, e mais, disse-me que o avião veio trazer cá exclusivamente só para ele.

claudio almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rui Gamboa disse...

Claudio, removeste o teu comentário? Porquê?

Diogo disse...

Não discordando do que aqui foi dito aproveito para fazer uma pequena correcção. São 4 ATP´s, um foi para a Madeira, um dos 3 que ficaram avariou, ficando a SATA a operar com 2 ATP´s

PP disse...

Caro Diogo, agradeço a correcção.

Não sou da área (aviação), e fiquei com a percepção de serem 3 ATP´s.

Cumprimentos

PP disse...

..e um Dornier, o que vôa para o Corvo.

Diogo disse...

Exacto, 4 ATP´s mais 1 Dornier.

Diogo disse...

O que a SATA fez, mostrou uma grande desconsideração da parte da empresa para com os Açorianos. Indo atrás de dinheiro na Madeira virou as costas aos açorianos, aos quais a SATA deve a sua existência.
Esta situação demonstra alguma má gestão por parte dos seus administradores. A SATA envia um dos 4 ATP´s para a Madeira, numa altura do ano em que a companhia realiza voos extraordinários por razões óbvias. Se já 4 ATP´s nestas alturas por vezes se revelam insuficientes, então 3... Mas a vontade de "sacar" mais uns euros na Madeira foi tanta que parece que não se lembraram da hipotese de avaria ou mesmo de pausa longa para manutenção.
Para aumentar a desgraça avariou um ATP, se não estou em erro um ou dois dias depois do outro ter partido para a Madeira. Foi o caos nas ilhas.
Só no primeiro dia foram cancelados 22 voos, tendo a SATA realizado no dia seguinte à volta de 43 voos.
Como se não bastasse a companhia comete erros e tenta limpar as mãos dos problemas que criou. Passageiros com voos de ligação, por exemplo, Ponta Delgada - Terceira - Horta, tiveram que se responsabilizar caso o voo Pdl -Ter chegasse atraso ao destino e já nao apanhassem avião para a Horta. Mas o que é isto? Enfim...

claudio almeida disse...

removi porque comentei repetido.

Rui Gamboa disse...

Caro Diogo,

A Aerocondor, empresa que fazia a ligação entre Funchal e Porto Santo, deixou de o fazer porque não podia suportar o déficit negativo da operação. Portanto a SATA não foi para a Madeira à procura de fazer dinheiro.

Parece-me que há uma situação qualquer do género: a SATA é 'obrigada' a ir assegurar aquele serviço público porque os Açores foram 'beneficiados' no último orçamento de Estado. A SATA ficou também numa situação de 'estar a fazer um favor' e pode agora partir para fazer exigencias à UE para renovar a frota.

Alías, volto a dizer, a forma como o Eng. Cansado falou do pedido de renovação da frota é no minimo estranho, senão vejamos: o eng. Cansado diz que só espera por uma resposta da UE até ao final do 1º trimestre deste ano, parece que só dá essa hipotese à UE. Eu não vejo mais nehum sitío onde a SATA possa ir pedir 60 milhões de euros para renovar a frota.