04 março 2007

Violência nas Escolas

Volto à temática da violência nas escolas, pois conheci as estatísticas referentes ao ano de 2006, que dão conta de um aumento exponencial das agressões de alunos a professores, que passaram de 97 casos relatados em 2005, para 390 situações contabilizadas como agressão no ano transacto.

Creio que estes números, por si só, já merecem preocupação, e exigem uma resposta rápida e eficaz.

Se nada for feito, e a tendência continuar, estes números terão um aumento galopante, e a sua inversão será, então, impossível.

Tema para reflexão urgente, pois no final deste ano lectivo teremos mais resultados estatísticos.

5 comentários:

PP disse...

Creio que se subentende que estes números são nacionais, de Portugal.

Não conheço os dados regionais, mas seria interessante começar a analizá-los..isso, se se fizerem estatísticas de assuntos desta ordem.

Rui Gamboa disse...

Eu relaciono muito este tema a outro que aqui trazes frequentemente, que foi tratado por exemplo no teu post sobre a pena ao tipo que assassinou um agente policial. São ambos temas que abordam, a meu ver, a tendência para se retirar autoridade a quem dela precisa para exercer a sua profissão.

Como dizes é um tema para debate nacional e urgente, que deverá dividir a sociedade entre, prevejo eu...

Quantos aos numeros, e os regionais em particular, devo dizer que devem ser baixos, pela 'pequena' razão que os professores temem sempre represálias e não progredirem na carreira.

Denise S. Almeida disse...

É cada vez mais preocupantes o que se passa nas nossas escolas. Passo pelos corredores e vejo miúdos de quarto ano a baterem-se, nunca a brincar. Quer dizer, "aquilo" é a brincadeira. Depois admiram-se de se tornarem adolescentes frustrados que agridem os professores por estarem a cumprir o seu papel.
Continuem a passar a WWE em horário nobre que ajuda muito...

PP disse...

Cara Denise,

também eu partilho essa sua preocupação em relação à banalização da violência entre os jovens, e do contributo do Wrestling para essa tendência crescente.

As crianças (porque nem adolescentes são), pediram pelo Natal aos pais, bonecos de Wrestling e respectivos ringues, para poderem simular os combates (reais) televisivos, em suas casas com os seus amigos.

Claro que depois essas crianças passam a imitar os combates entre si, e a "brincadeira" roda à volta da "porrada".

Enfim, triste pronuncio

Diogo D. disse...

Um dos problemas é que os professores e funcionários são desprovidos de qualquer autoridade. Um puxão de orelhas pode custar caro a qualquer um deles.