28 fevereiro 2007

Blogues e Bloggers*

Os surpreendentes avanços tecnológicos verificados na última década, permitiram que a Internet se solidificasse como um poderoso meio de comunicação, que tem efeitos práticos na realidade social e nas relações entre os indivíduos. Os blogues têm, neste particular, um papel cada vez mais relevante, que importa conhecer melhor.

Apesar de ser muito difícil dar uma definição exacta de um blog, pode-se, no entanto, dizer que são registos cronológicos, de natureza voluntária e amadora, actualizados periodicamente com textos de opinião, imagens, músicas, etc, que o autor ou autores queiram disponibilizar. No entanto, um blog pode ser muito mais que isso, uma vez que é um espaço dinâmico e em constante transformação.

Cada blog têm as características que o seu autor lhe quer dar, desde a apresentação, aos extras, tudo pode ser feito a gosto. Porém, há um aspecto que pode dar a um blog uma vitalidade e um dinamismo completamente diferentes: a participação dos visitantes, através de comentários. É desta forma que os blogues transformam-se em autênticas comunidades online, nas quais a comunicação é mediada por computador e onde os participantes (bloggers) discutem e partilham informações e ideias.

No que diz respeito aos blogues regionais, há que realçar o franco desenvolvimento que se tem vindo a observar. Actualmente existem blogues, de criação açoriana, para todos os gostos e feitios. É preciso, no entanto, dar realce àqueles onde se discute a actualidade regional, nacional e internacional. Nestes, encontra-se autores que diferem em termos de ideologia política, mas que têm em comum o gosto pela discussão pública, que a blogosfera permite. É a partir desse confronto de ideias, que todos os bloggers saem a ganhar, nomeadamente em termos de enriquecimento do conhecimento.

Os blogues têm tido uma importância crescente na sociedade actual, não podem, porém, ser vistos como uma solução para o desinteresse pelas questões políticas, mas sim como uma ferramenta que potencia a participação democrática. Os blogues, ao facilitarem o acesso a mais e melhor informação, contribuem para a melhoria das condições na democracia liberal.

* artigo publicado no Correio dos Açores de 27/02/2007

4 comentários:

PP disse...

Parabéns meu amigo. Mais um bom e oportuno artigo de opinião.

Que os computadores são, hoje, uma ferramenta indispensável no nosso trabalho e lazer, não restam dúvidas. Mas muito há a discutir sobre a importância e papel que vêm tendo na nossa sociedade.

A revolução deu-se com a internet, e com os mail, mensager, google, etc, e tudo o que ela trouxe. Falava-se na substituição do e-mail pelo correrio tradicional, depois a música, os livros e os filmes e, hoje, discute-se o papel dos Blogges como substitutos de alguma imprensa escrita e, como focaste, a importância crecente das comunidades que proliferam à volta de determinados blogges, que com os seus links para outros Blogs associados, podem criar um fórum alargado de debate de ideias e, quase, como um contra poder.

Que os média são um Poder, também ninguém questiona, agora a força da blogosfera começa a ser debatida.

È caso para dizer que fica aqui o mote para o encontro de Bloggers que se vai realizar nas Furnas e, no fim-de-semana seguinte na Ilha terceira, que também já conta com uma grande comunidade de bloggers.

Um grande abraço

Rui Gamboa disse...

Eu não quis, como se pode compreender, comparar o papel dos blogues com o da imprensa, uma vez que estava a escrever num jornal. Mas cada vez mais, os blogues têm um papel mais importante na informação, eu socorro-me mais dos blogues que da comunicação social, dita clássica, para saber das notícias. E isso é algo a ter muito em conta.

PP disse...

Caro Rui, a minha referência aos blogs, e em particular aos próprios jornais que começam a ter as suas versões on-line, prende-se com o facto de num "Estação de Serviço" da semana passada, ter sido convidado Paulo Simões (director do "Açoreano Oriental") que aflorou estas questões.

Eu adoro Jornais, em papel, por isso não sou apologista da sua extinção.
Mas é sabido que enfrentam uma crise de leitores, e não é alheia a essa questão, a quantidade de brindes que acompanham os jornais e revistas.

Força amigo

Rui Gamboa disse...

Foi uma semana que muito se falou nesse assunto, no mesmo dia em que saiu no C.A., este artigo saiu no A.O., um outro, mas muito maior e de investigação sobre o assunto, estava muito bom.

Não vi o prgrama com Paulo Simões, mas deve ter sido interessante, na medida em que é uma pessoa bastante entendida. Aliás, um grande bem-haja à RTP-A por um programa que faltava, se bem que muitas vezes, o apresentador Carlos Tomé, não se coíbe de dar as suas opniões, que muitas vezes, sãp no minimo controversas, ele é que devia ver o código de deotologia e ética da sua classe.