27 maio 2007

O Direito à Informação

Todos os fins-de-semana repete-se a mesma triste situação; os jornais do continente que, como é óbvio, vêm de avião, só chegam ás mãos dos leitores Açoreanos ao fim da tarde, dando a impressão de serem vespertinos em lugar de matutinos. Bem, isso é o normal, pois com “sorte”, temos os jornais de sábado ao Domingo.(?)

Eu, como leitor, sinto-me prejudicado. As manhãs ou as tardes de sábado não podem ser aproveitados para momentos de leitura, e fico condicionado à noite de sábado – que prefiro passar de outro modo –, para pôr a leitura da semana e do dia, em dia. Numa sociedade moderna e actualizada, eu quero ter o direito a ter a informação disponível em tempo útil e oportuno, pois tal é possível e desejável.

Recordo-me que há uns bons 15 anos, tínhamos o jornal Expresso e o Semanário, na "Tabacaria Açoreana", na sexta-feira à noite, por volta das 23h30m ou mesmo à meia-noite. Vinham no último avião. Porque será que agora, quer os semanários quer os diários, só vêm para as nossas Ilhas no avião das 17 horas do dia seguinte, quando há um voo para S. Miguel, por exemplo, que sai de Lisboa às 6 horas da manhã desse dia? Digo com toda a certaza que os Jornais já estão disponíveis a esa hora.

Se fosse na altura em que revistas e jornais eram subsidiados – para que o seu valor fosse igual ao praticado no continente –, até tolerava tal atraso. Mas nos dias que correm, tal compensação já não existe, e os atrasos são de tal ordem, que temos revistas que abordam várias temáticas, que vêm agora de barco, e que só chegam às bancas no final do mês a que dizem respeito!?!?! Que eu saiba, um barco de transporte de mercadorias não demora mais de três dias a fazer o percurso Lisboa-PDL.(!)

O que me parece é que há um certo laxismo e falta de vontade de quem de direito, para que coisas tão simples de resolver, tenham uma solução que vá de encontro aos desejos dos leitores, afinal os destinatários dessas publicações.

Bem, eu já nem falo de outras Ilhas dos Açores, que nem à tarde têm os matutinos de Lisboa. Com sorte têm-nos no dia seguinte, se tudo correr “bem”!

4 comentários:

O Regedor disse...

Caro Pedro,

concordo plenamente.
Mais, numa qualquer ilha da coesão tal é o atraso com que chega o jornal que rapidamente desiste de comprar ou os próprios vendedores não demonstram intresse em pô-lo à venda.

Também eu, quando criança, ia com o meu pai à Tabacaria Açoriano, já de noite, bucar os jornais do dia. Um presente para a manhã de sábado.

Mas actualmente, no terceiro milénio, regredimos.
Caso para dizer: jornal de hoje só amanhã.

Cumprimentos,

BR

ps. estou de regresso à ilha a 31 de Maio.

Rui Gamboa disse...

Será só desleixo, ou haverá outras razões?

Pedro Lopes disse...

Caro Rui, tais como?

Será que te referes a uma certa pressão dos distribuidores de imprensa, descontentes com o desaparecimento destes apoios, e que agora fazem como querem, em prejuízo dos leitores!

Eu penso que a culpa e o laxismo deve ser endereçado a esses mesmo distribuidores, pois são eles quem negoceia e contratualiza com as revistas e jornais que distribuem, a forma e periodiciade dessa distribuição.
Não sei se a SATA tem aqui culpas, pois pode recusar-se, ou dificultar, o embarque de jornais do primeiro avião. Mas podem também ser os distrubuidores, que preferem acordar mais tarde......

O que sei é que um profissional, de qualquer área, deve procurar fazer o seu trabalho com aprumo e satisfazer aqueles para os quais trabalha. Só assim garante a continuidade do seu negócio, pois clienytes insatisfeitos, viram as costas.

Daí os monopólios serem o pior dos "cancros" da economia.....A SATA (em conluío com a TAP) são disso o melhor, entenda-se pior, exemplo.

Caro "Regedor", provávelmente encontramo-nos, uma ou outra vez, na dita Tabacaria :)

A ver se é desta que almoçamos....

Rui Gamboa disse...

Pois, Pedro, essa será uma das razões.

E o governo regional deverá gostar dessa situação dos "clientes insatisfeitos, que viram as costas" porque assim ficam à mercê da informação que se faz por cá, no Expresso das Nove e RTP Açores...