17 junho 2007

A Nova F1


Desde novo que sou fã de Fórmula 1. Quando comecei a interessar-me pela modalidade, era Nélson Piquet o meu piloto favorito, não sei porque razão. Depois que Piquet deixou de ganhar corridas e campeonatos, não tinha nenhum piloto preferido, entre Mansell, Senna e Prost, talvez torcesse mais pelo inglês, porque era o mais irascível entre os três.

Entretanto, no início dos anos 90 surge o fenómeno Schumacher. Converti-me, rapidamente ao alemão. Primeiro na Benneton e depois na Ferrari. Vibrei com os duelos com Damon Hill, Mika Häkkinen, David Coulthard e tornei-me num ferrarista. Até que há uns três anos surge o espanhol Fernando Alonso, que começou a ameaçar Shumacher e que eventualmente destronou o alemão. Desde que apareceu, nunca gostei de Alonso.

Esta temporada de 2007, marca uma nova era; uma era pós-Shumacher, e uma era em que cada vez mais os carros têm muitas ajudas electrónicas, o que a meu ver retira muita da espetacularidade (este facto pode ser extensível aos rallys). Encarei este começo com alguma desconfiança, porque não tinha nenhum piloto preferido. Na Ferrari, Massa e Raikkonen não são empolgantes, a McLaren tinha o Alonso e o “novato” Hamilton. Pensei que esta época iria ser um passeio para Alonso, mas eis que Lewis Hamilton surge como um grande piloto, que bate frequentemente Alonso e que está a dar um ânimo à F1, que ninguém conseguiu prever.

No entanto, a Ferrari continua a ser a minha equipe favorita e apesar de não estar perto da McLaren actualmente, a verdade é que quando vier a estar, não vou torcer pelo Hamilton, mas sim por Massa, ou por Raikkonen. Talvez dentro de algumas corridas, se a Ferrari não se aproximar da McLaren, Hamilton passe a ser o meu favorito, dentro da F1. Não gosto de pensar muito nas razões que me levam a preferir uns a outros, mas neste caso penso que é porque está a bater o enervante Alonso.

6 comentários:

pedro lopes disse...

....e porque tens um fraquinho pelos vencedores, acrescento eu.

Há uns bons anos, no tempo em que te começou a interressar a F1, também eu gostava e me empolgava. Era das únicas coisas que passava na nossa TV, tornando-se um hábito Domingueiro, com o seu som característico.

Depois, com o andar dos anos e uma maior diversidade de interesses, começei a deixar de ver os grandes prémios, que confesso, se começaram a tornar uma maçada.
São gostos. Também não percebo como pode alguém vibrar com o ciclismo......ou com o Golf.

Mas, se há coisa que já tinha reparado, é que surgiu mais um "Shumacher", este jovem inglês, Hamilton.

Caro Rui, rende-te desde já a este miúdo, pois se nem Alonso o bate, imagina os adversários. Ele chegou pra vencer, e Alonso é bem capaz de já estar com birrinhas de "balneário".....

Maria Eliza disse...

Só os anuncios publicitários onde esse epanhol aparece são irritantes, não foi o Alonso que esteve bem, a ferrari principalmente que estave a dormir durante dois anos!

Rui Gamboa disse...

O ideal era ver o Hamilton na Ferrari. E isso deverá acontecer.

Como disse, não gosto de pensar muito nas razões que me levam a gostar mais de uns que outros. Mas se tiver que ser, acho que não é pelo simples facto de serem vencedores, é porque são mais competentes e isso leva-os às vitórias, além disso há um elemento que não pode ser explicado, chama-o identificar-se mais com um do que outro, ou chama-o outra coisa qualquer. Por exemplo, o Senna tinha tudo para se gostar dele: era competente, ganhava, falava português, etc, mas mesmo assim não era adepto dele, não tenho explicação. Porque gostei do Schumacher? Talvez porque quando 'chegou' haviam aqueles grandes como Mansell, Senna, Prost e ele tinha um carro não tão bom (1º foi um Lotus, penso eu e depois o Benetton) e ainda assim lutava com eles para as vitórias, ele era o "underdog" como dizem os ingleses, na altura, ou seja não era o favorito, nem o melhor, ainda assim era o meu preferido, e isso durou até ao fim. Pode-se dizer que apostei no 'cavalo' certo, quando ele apareceu, pois veio a confirmar tudo que se esperava. Mesmo quando ele perdeu para o Hakkinen e para o Villeneuve, nunca mudei, foi sempre o meu favorito. Acho que isso está acontecer agora com o Hamilton. Mas como disse, a Ferrari é sempre a Ferrari.

hapc disse...

1º foi com um Jordan...

Rui Gamboa disse...

Caro hapc,

Obrigado pelo esclarecimento. A confusão deve ter acontecido porque o Lamy esteve na Lotus e Monteiro na Jordan.

Rui Gamboa disse...

...já agora aconselho a verem a ligação que está no post sobre o Hakkinen, pois é um video no youtube de uma das melhores ultrapassagens de sempre na F1 (pode ser exagero), ao Schumacher.