28 fevereiro 2008

Perguntem a Manuel Pinho...

...como foi possível chegar a Ministro da Economia, sem conhecer a qualidade do calçado fabricado em Portugal.!!
Isto, a propósito das suas palavras na Feira de Calçado de Milão (maior montra do sector), em que, em tom de ironia, disse; "Vim cá pensando comprar uns sapatos Italianos. Mas depois de ver a qualidade do calçado português, acho que vou levar uns sapatos made in Portugal."
A graçola não teria rigorosamente nada de mal, nem merecia um post, não fosse o facto de ter sido proferida pelo Ministro Português da Economia. (é que se fosse dita pelo Ministro Italiano da Economia, até poderia ter funcionado, que mais não fosse pela cortesia)
Acresce o facto de este, não ser episódio único. Começam a proliferar os "tesourinhos deprimentes" de Manuel Pinho.......não esquecer a "divulgação", que pretendia cativar investimento chinês para Portugal, dos preços baixos da mãe-de-obra em Portugal.
Já estou à espera do próximo "tesourinho".

3 comentários:

SB disse...

desculpa Pedro, mas não percebi. confesso que ainda estou meia a dormir e talvez tenha-me passado ao lado, mas qual o problema do ministro preferir o calçado português relativamente ao italiano?

pedro lopes disse...

Cara Sb,

o problema não está na conclusão final do Ministro (afinal vai comprar uns sapatinhos Portugueses), mas antes no facto de ter ido à Feira de Milão à procura de uns bons sapatos - por sinal Italianos -, pois desconhecia a boa qualidade do calçado português.

Por isso refiro que, se a frase fosse dita pelo colega Italiano, até poderia ter funcionado.

O calçado português já é reconhecido como dos melhores do Mundo há muitos anos. Daí, não haver a necessidade de fazer passar a ideia de que, só agora, nesta feira, Manuel Pinho se apercebeu que, afinal, em Portugal tb se fabricam coisas com qualidade.

Em suma, a graçola do Ministro dá a entender que ficou surpreendido com o "design" e qualidade do nossa industria de calçado.

cumps.

SB disse...

sim, entretanto vi nas noticias à hora de almoço. pareceu-me foi que fizeram uma tempestade num copo de água. a conversa de que tinha lá ido para comprar uns sapatinhos italianos apesar de triste era, desde logo, perceptível como se tratando de uma graçola, pois o senhor foi a acompanhar os empresários e industriais portugueses do sector. pior mesmo foi a jornalista a inquirir o ministro no final da visita sobre os sapatos, se havia ou não comprado algum par...quando aquela feira/exposição nem é para venda ao público.