21 fevereiro 2008

Premiar a Cobardia


O assassínio de Jesse James pelo cobarde Robert Ford é um filme que desde já aconselho. Como o título indica, conta a história da morte do lendário fora-da-lei Jesse James às mãos de Robert Ford e não tem nada que ver com os westens de John Wayne ou Gary Cooper.

Sinceramente, não teria escrito nada sobre este filme se não fosse a magnífica interpretação que Casey Affleck faz de Robert Ford. Affleck surpreende e coloca para segundo plano a também muito boa interpretação de Brad Pitt. Está, como não podia deixar de ser, nomeado para o Oscar de Melhor Actor Secundário. Dos actores em questão nesta categoria, apenas vi Affleck, Javier Bardem (No Country For Old Men) e Phillip Seymour Hoffman (Charlie Wilson's War) e não tenho dúvida em apostar no "cobarde" Robert Ford, apesar de aparentemente o favorito ser mesmo o espanhol.

4 comentários:

Anónimo disse...

Fica o convite, já antes formulado de ganhar três horas de boa vida a ler "Este País não é para velhos", caso ainda não o tenha feito. Cormac McCarthy no seu pior é uma epifania. Leia, se ainda não o fez, que vai perceber melhor "o espanhol".

Rui Gamboa disse...

Não li, mas vou tentar adquirir e logo reavalio a actuação do "espanhol".

Anónimo disse...

É que a forma como o livro está escrito, transcende a noção que eu consiga ter de como interpretar uma personagem assim (des)escrita.
O que ele interpreta é realmente uma noção única.
A única personagem que ( ainda assim não) se lhe assemelha, suposta a partir de um livro é aquela do coronel Kurtz, puxado do Coração das Trevas.

blueminerva disse...

Grande parte da qualidade do filme, assenta na fabulosa prestação de Casey Affleck. Mas ainda assim... prefiro a prestação do monstro personificado por Javier Bardem.
Um abraço