25 abril 2008

As Festas em Honra Do Senhor

Iniciaram-se, hoje, com o acender das luzes em volta do santuário da Esperança, as Festas em Honra do Senhor Santo Cristo dos Milagres.
O ponto alto será no Domingo, com a procissão que percorre várias artérias da cidade de Ponta Delgada, num percurso com 300 anos, que leva a imagem do Senhor Santo Cristo a passar diante dos antigo conventos da cidade.

A iluminação está, há já 60 anos, a cargo do senhor Humberto Moniz, que, com a sua arte, dá mais brilho às festas e ilumina os que nela participam.

O guardião da imagem, padre Agostinho, reitor do Santuário da Esperança, vive este culto com uma intensidade e dedicação que, não raras vezes me comove.

Sim, porque eu, á semelhança do monsenhor Agostinho, também sou um profundo devoto do Senhor Santo Cristo dos Milagres e, estou seguro, que a ele devo os últimos anos da minha vida.

Quanto à história deste culto, que deu origem a estas festividades, fica aqui um bom registo.

Boas Festas.

4 comentários:

JRV disse...

Caro Pedro Lopes, embora não partilhe a devoção que manifesta, sinto profundas saudades das festividades e do que elas representam nos Açores.

Este meu "exílio" em Lisboa determinou que não presencie a festa há já 10 anos. Ficam as recordações e os relatos presentes que vou lendo, ouvindo e vendo à distância. Enfim, lamechices aqui do JRV ;)

blueminerva disse...

Que o Senhor Santo Cristo dos Milagres vos guarde a todos.
Um abraço e boas festas.

Melo disse...

Também eu, amigo Pedro, tenho um sentir e uma devoção especial pelo Senhor e pelo simbolismo das festas do Santo Cristo dos Milagres.
Para além da componente histórico/cultural observo(tal como tu sou um observador atento dos fenómenos sociais)algo que partilho, com agrado: a participação de muitos jovens na componenete religiosa das festas, particularmente na procissão. De uma forma descontaída, com elevada simplicidade, junto das restantes promessas, sem procurar lugar de destaque como alguns dos engravatados que se acotovelam para aparecer ao lado da imagem e que os torna, às vezes,ridículos.

Uma nova forma de religiosidade, de redescobrir o Senhor - a força da simplicidade, tal como a imagem do Senhor.
Boas festas, amigo!

pedro lopes disse...

Caro JRV, quem ama a sua terra natal, jamaia a esquece.
Todos precisamos de uma âncora.

Cara Blueminerva, agradeço os votos e remeto as bençãos para si também. ;)

Caro amigo, somos, "apenas", mais dois.
Aquilo que referes - da simplicidade com a estas festas devem ser vividas -, é uma certeza também para mim. Só assim têm sentido.
A nossa condição de iguais, deve ter, aqui, a sua expressão máxima

Um grande abraço a todos.