05 junho 2008

Manif de Pescadores em Bruxelas - Rescaldo

Nada mais de relevante há a dizer sobre a manifestação de pescadores ontem em Bruxelas. O melhor é algumas fotografias.

















3 comentários:

jacobino disse...

caro Rui,
são fotos excelentes para mostrar que, ao contrário do que pensam os burocratas europeus, a conflitualidade faz parte de todas as sociedades; também são boas para mostrar que afinal, nem toda a gente acha a UE uma coisa benigna..

Rui Gamboa disse...

Jacobino,

Apesar de tudo, acho que estas fotografias não retratam bem o que aconteceu.

Eu assisti a toda a manif e posso lhe garantir que durante a manhã eram à volta de 70/100 manifestantes, com uma média de 4 polícias por manifestante. Nada se passou, além desse fogo de artifício que aparece, que ocasionalmente era atiradom, palavras de ordem aqui e ali e só durante 15 minutos é que as coisas ficaram piores, foi quando viraram aquele carro e atiraram pedras às janelas dos edifícios da UE. Devo dizer, porém, que depois a manifestação passou para perto do Parlamento e parece que aí os canhões de água foram usados, não sei. Mas, às 16.00 estava tudo acabado.

Acho que os organizadores devem ter ficado desapontados, pois apontavam para milhares de manifestantes. Os portugueses, não os vi.

Deixe-me só deixar um pequeno apontamento à sua pequena provocação; tenho a certeza que se não fosse a UE, todos aqueles pescadores estariam hoje em piores condições. Os preços dos combustíveis, que eram a razão da manif, não podem ser diminuídos por baixar os impostos, isso seria impensável. A questão que se pode colocar aqui, penso eu, é muito mais abrangente: deve ou não haver medidas estatais para regular o mercado? Essa seria a única forma de baixar os preços, mas seria viável.

Temos é que começar, e já começamos, a redefinir os nossos hábitos, em relação à mobilidade: energias alternativas, transportes públicos, andar, bicicletas, etc.

jacobino disse...

claro, não se pode baixar o ISP para isso. mas a questão dos pescadores é muito específica: eles protestam contra os combustiveis, mas o grande drama de toda a questao é que eles ficam com apenas um quarto do preço final do peixe. o resto é sobretudo especulação...