11 julho 2008

Parlamento - Tasca


Não gosto do estilo de José Sócrates nos debates parlamentares, é malcriado, arrogante (isso já todos sabíamos) e não tem qualquer respeito pelos seus adversários políticos. A sessão do Estado da Nação de ontem foi apenas mais um exemplo; quando fala, Sócrates, usa expressões como "tome tento na língua", "eu não lhe admito", "você não sabe do que fala". Quando se assiste aos debates parlamentares, parece que estamos perante uma qualquer discussão numa tasca. É possível ter trocas de argumentos com alguma cordialidade e se há local onde isso devia acontecer, esse local é o Parlamento.

A verdade é que este tipo de comportamento é igual na maior parte dos nossos representantes, mas Sócrates, por ser o centro das atenções e por ser o líder do Governo, deveria ter alguma contenção, no entanto parece que estes factores só o fazem ser ainda mais agressivo.

3 comentários:

Ana Rita disse...

E, entretanto, são tantas as gaffes que mais valia estar calado.

blueminerva disse...

Oh amigo... você tinha que ver como decorrem as sessões no parlamento regional da Madeira. Pior que um circo, pior de hooligans, pior que vários bandos de ciganos, muito pior... ninguém bate o parlamento regional da Madeira. Hum... talvez a Tailândia onde já chegaram a vias de facto... mas por aqui falta pouco para chegar à pancadaria.
Beijocas

Legoman disse...

Li uma vez algures, alguém que dizia que noutros tempos, Sócrates teria sido um belo ditador.
Essa ideia não anda muito longe da realidade.

Propaganda não lhes falta, arrogância é a rodos e a vontade muito menos.

Pena é, e esperemos que melhore para o bem do país e da democracia, que a oposição também não tenha feito muito para alterar isso.