22 outubro 2008

Reconhecimentos

Este é o começo de um longo processo de pesquisa que culminará, espero, numa tese sobre as RUPs.

Nesta primeira fase de reunir e filtrar bibliografia, foi-me sugerida a tese de Isabel Valente, As Regiões Ultraperiféricas Portuguesas: Territórios Estratégicos, da qual deixo as seguintes passagens:

“Efectivamente, a consagração do estatuto ultraperiférico para estas regiões deve-se à acção inequívoca e entusiástica do Governo Regional da Madeira e dos Açores. (…) É indubitável que através de Alberto João Jardim e João Bosco Mota Amaral as regiões autónomas portuguesas puderam não só marcar a agenda das negociações no quadro das RUPs, como também obter uma grande parte do apoio internacional necessário à aprovação do mesmo”

“Se bem que a sua origem ainda esteja sujeita a controversa, estamos em crer que a expressão ultraperiférica foi utilizada pela primeira vez em Outubro de 1987. (…) Procurando uma matização de referência no quadro conceptual, o Presidente dos Açores – e de forma espontânea – utiliza a expressão “mais que” e depois “ultra” para caracterizar o conceito de perifericidade da situação das ilhas afastadas do Continente europeu”

3 comentários:

pedro lopes disse...

Carissimo, boa esolha. E tens aí uma boa base de trabalho para tese.

Nem de propósito; sabes que está cá a tua "amiga" Danuta, a Comissária das Regiões.

Bom trabalho.

Mr. Lekker disse...

Recomendo igualmente essa tese. Tive a oportunidade de conhecer e trabalhar com a Isabel no âmbito em que essa tese foi realizada. Bem como fizemos a defesa das nossas teses na Universidade de Coimbra. Será certamente um bom ponto de partida.

Rui Gamboa disse...

Mr. Lekker, agradeço a sua visita, que só me faz acreditar ainda mais que estou no caminho certo.