12 novembro 2008

Efeitos

Os lamentáveis acontecimentos com a Ministra da Educação, que tiveram lugar em Fafe, são condenáveis. Mas não posso deixar de pensar que são o resultado da política de facilitismo e de “centrar a escola nos alunos” que o Governo está a implementar.

3 comentários:

Rodrigo de Sá disse...

Também lamento que tenha acontecido tal coisa, mas muitas vezes quando ouço a Ministra da Educação falar, a sensação é bem pior do que levar com ovos no vidro do carro.

CAVP disse...

Meu caro amigo,

Este será, finalmente, o primeiro dos meus comentários regulares no teu blog.

Em relação a estes eventos, sim, são lamentáveis. E mais o são porque todo esta situaçao da educação está a revelar a verdadeira face da nossa sociedade.

A ministra é teimosa e está a persistir num modelo que segundo todos, até o governo, é muito burocrático. O governo parece-me meio inerte e a deixar que tudo caia sobre a ministra. Mais fácil cair um que todos.

Os outros partidos, ao invés de tentarem construir consensos, aumentam os discensos com uma atitude destrutiva, centrada apenas na intenção de retirar eleitorado a Sócrates e ao seu governo.

Os alunos, esses são o fruto da nossa sociedade pelo que...não se pode esperar grande coisa e vejo ali somente vontade de aparecer na tv e faltar. Custa-me a crer que a maior parte deles saiba por que protesta.

Os professores, acho que neste momento são os que mais se prejudicam. A imagem que passa nestes dias é tão negativa e eu, por exemplo, já pouca razão lhes dou. A docência sempre foi um exercicio de vocação e hoje, em alguns casos, parece mais um exercicio de mercenários. Ver uma professora a dizer que não devem atirar ovos ao carro dela porque é profesora, mas que o devem fazer à ministra; ver professores em plena televisão nacional a dizer que a ministra tem de sair porque é feia; ver professores no meio de uma manifestação a rir e a empunhar cartazes com a imagem da ministra e de porcos é deveras embaraçoso para uma classe que nós, num processo ainda mais novo de massificação da educação, aprendemos a respeitar.

Abraço

Carlos

Rui Gamboa disse...

Que sejas (finalmente) bem-vindo.