13 dezembro 2008

Música do Ano


Dezembro, mês de aprovações, faltas injustificada e, enfim, balanços. Neste sentido, gostaria de partilhar algumas das músicas que mais me acompanharam ao longo deste colorido, enriquecedor, mas também frustrante, ano.

Como eu não sou nada daquelas pessoas que diz que ouve de tudo um pouco, vou já avisando que este conjunto de músicas é todo dentro do mesmo género, acho. Diz que é música alternativa ou independente. Eu digo que é música que gosto.

Não esperem, porém, o obrigatório best of do ano. Não. Eu não trabalho em nenhuma revista de música, por isso não tenho nenhuma obrigação de fazer esse tipo de listas (que enervam-me um bocado, aliás). Músicas de várias décadas, mas intemporais.

Wolfgang Press – Raintime (1988)
Adorable – Homeboy (1994)
Blonde Redhead – Falling Man (2004)
Breeders – Saints (1993)
Cranes – Jewel (1993)
Electrelane – Love Builds Up (2004)
Gui Boratto – Beautiful Life (2007)
Fugiya & Miyagi – Ankle Injuries (2006)
Modern English – Gathering Dust (1980)
Pavement – Rattled by the Rush (1995)
Bon Iver – For Emma (2008)
Yo La Tengo – Today is the Day (2003)
The Cure – Piggy in the Mirror (1984)
Joy Division – Decades (1980)
Cat Power – Cross Bones Style (1998)

2 comentários:

pedro lopes disse...

Rui deliciei-me a ouvir estas tuas escolhas, dignas de serem escutadas com o volume bem alto, e/ou de head-phones.
Uma selecção assim deste tipo - mais alternativo, como descreves -, só consegui encontrar na discoteca Incógnito em Lisboa, perto do Bairro Alto, quem desce para Santos. Bons momentos ai passei, ao som de todas estas bandas, e muitas outras, claro. Ainda existe, e mantém-se fiel aos sons mais vanguardistas, com o seu “timoneiro”, o Ray, ainda no activo.
O mundo é muito mais colorido porque existem sons, e a música transforma a nossa existência numa “beautifull live”. ;)

E, Rui, também eu sou avesso a listas de best of, pois custa-me muito categorizar e hierarquizar as músicas e bandaas de que gosto. Há música que nos entra melhor em determinada ocasião ou contexto. por isso, uma só lista seria injusto.

Rui Gamboa disse...

Ainda bem que gostaste.

Quanto a fazer listas...bem, eu não me importo de fazer um top dos discos que mais me marcaram ao longo destes anos... e também consigo fazer uma lista como esta, com músicas que ouvi durante o ano. Aliás, esta lista só tem a dificuldade de fazer uma selecção, porque a escolha em si é relativamente fácil, basta recordar o que ouvimos ao longo do ano.

Agora, o que não suporto são listas feitas por pseuso jornalistas musicais amadores, que fazem a listinha obrigatória de fim de ano

Eu tenho uma opinião muito minha em relação à música e aos ouvintes. Mas por ser só minha, minha mesmo, fica apenas comigo mesmo...não quero ferir susceptilidades...um problema que pode ser alargado a outras áreas da vida... :s