14 fevereiro 2009

Seja Espero, Não Veja Este Filme


É sempre com enorme desconfiança que abordo as novas versões de filmes/séries antigas. Exemplo paradigmático foi A Pantera Cor-de-rosa com Steve Martin, onde num só filme praticamente conseguiu-se destruir duas referências do humor cinematográfico, a personagem de Jacques Closeau, que Peter Sellers tão bem encarnava (ver video) e o próprio Martin que até ali tinha tido um carreira com algumas boas interpretações. Outro exemplo, este de uma série lendária que foi adaptada ao cinema muitos anos depois, descaracterizando por completo o original foi a Missão Impossível. Aparentemente, estou enganado, uma vez que em ambos os casos, o sucesso é enorme, exigindo as obrigatórias sequelas. Adiante. Foi então com algum desconforto que aluguei recentemente Get Smart com Steve Carrel, uma vez que já sabia que ia cair na tentação de comparar com a série que Don Adams protagonizou na década de 60. Porém, neste caso, parece-me que mesmo que não se conheça o original, será impossível gostar-se deste filme. Carrel está igual a si próprio, enervante e sem sal, faz o papel de Smart exactamente da mesma forma como fez o virgem ou Noé. Não se lhe pode chamar um actor, mas sim um tipo que diz as suas deixas com aquele ar de tolo que é dele de origem. De resto, do filme só se salva mesmo as chapadas com que Anne Hathaway presenteia o tolo do Carrel e os vislumbres do corpo da ex-princesa. No fim de contas é uma hora e meia da vida que se perde, completa e irremediavelmente.

1 comentário:

pedro lopes disse...

Rui, fiquei convencido. Não vou ver o filme, e ganho 1h30m de vida. :)