10 julho 2009

Falar muito, dizer pouco

Eu sei que ainda há quem as profira, mas confesso que tenho saudades de ouvir umas boas imbecilidades, daquelas tão ingenuamente puras que, para lá da comiseração, quase merecem um nicho de simpatia, porque genuínas. Por isso, nada como recorrer aos bons velhos tempos dos amantes da Utopia e admirar a sua extraordinária capacidade de arregimentação. Por onde andará tão vetusto jovem?

6 comentários:

Tiago R. disse...

Acha que acabar com o machismo é uma Utopia?
Que raio de mundo o seu...

Zé das Medalhas disse...

Tiago R.
Você está a leste e continua a leste! Nada de novo, portanto.

Bento Jesus Caraçasss disse...

O Tiago sofre de um complexo típico, sempre que se fala em PREC's, abriles, latifundios, povo unido, a terra para quem a trabalha e todas as outras formas de de ditadura mascardas de utopia, sente-se na obrigação de fazer a defesa intransigente da sua dama (aliás, isso é ensinado nos campos de férias dos miudos nas festas do avante, por isso é normal).

Mas, Tiago, as coisas nem sempre são o que parecem e às vezes essas coisas que defende servem para fazer passar mensagens sobre assuntos actuais.

Não sei será o caso, mas acho que tem a ver com o post anterior em que tb se falava na educação do povo.

Tiago, o que tem a dizer sobre a intenção do Pascoal de determinar o que é cultura boa para o povo e o que é má? Certamente, visto numa lógica de eternização no poder, fará todo o sentido, tal como fez na URSS e faz em Cuba e na Coreia e tal como se pretende que faça sentido aqui nos Açores agora.

A cultura como meio de ensino das estúpidas populações que deixaram de votar PS. Soa muito bem. E se isso falhar, podemos sempre criar uma Stasi, que tal?

Engenheiro de Domingo à Tarde disse...

O termo latifúndio deriva do latim latifundiu. Na antiguidade, era o grande domínio privado da aristocracia, já no sentido moderno, é um regime de propriedade agrária caracterizado pela concentração desequilibrada de terras pertencentes a poucos proprietários com ou sem aproveitamento físico destas. Ou seja, os latifúndios são extensas propriedades rurais onde existe uma grande proporção de terras cultivadas ou não e são exploradas com tecnologia obsoleta e de baixa produtividade com mão-de-obra de baixo custo.

Ainda tenho dores de barriga de tanto rir.

Anónimo disse...

É simples: vá à ALRA!

r. disse...

Eu aconselho a fazerem duplo clique sobre este vídeo e verem todos os outros que lhe estão associados no youtube.

O pós 25 de abril foi mesmo um período ideal para os radicais ...