13 dezembro 2009

Parece

Parece que o Glorioso não jogou, jogando.

Parece que o adversário correu como nunca tinha corrido.

Parece que o adversário, contrariando o costume, foi agressivo até à expulsão.

Parece que, com isso, segundo o DN, " o Dragão de Olhão pôs o Benfica em pânico".

Parece até que, por aquelas bandas, como, aliás, por outras, há uma concentração elevada de pessoas ligadas a um só clube.

Parece que o FCP, segundo o douto Platini, já não é batoteiro, desde 2007, embora Jesualdo Ferreira afiance que até Platini se engana.

Parece que o jornalista Bruno Pires escreveu "Não sei (nem me interessa) quem era o assistente que acompanhou o ataque do V. Guimarães na segunda parte do jogo com o fcporto. Esse senhor foi insultado duas vezes por Bruno Alves (malditos microfones da Sport TV) e nada fez. Sujeitou-se. A falta de civismo do atleta casa bem com o défice de coragem do assistente."

Parece que, exactamente como em Braga, o bandeirinha não fez o que devia.

Parece que, como costume, o que interessa é que Portugal não tem condições para organizar os Jogos Olímpicos.

Parece que a Secretaria de Estado do Desporto existe.

Parece que, até há pouco tempo, era importante recuperar o pacote Cravinho.

Parece que falta uma semana para parecer mais qualquer coisa!

Parece que, entre o país da democracia do faz de conta e o país do desporto do parece, não há grande diferença, não parece?

15 comentários:

Serrote disse...

Parece que sim, lá isso parece.
Mas, isto está parecendo que, embora não querendo parecer nada, parece que vai parecer qualquer coisa.
Não lhes parece?
O que será???

Serrote disse...

Por falar em parecer;
Parece-me que esta coisa do "Este blogue não permite comentários anónimos." não passa do que "parece-me a mim" um simples parecer de quem não quer parecer nada, porque, não parecendo que sou anónimo, parece que sou anónimo.

Rui disse...

Parece mas é que estava tudo cozinhado para lixar bem o Benfica para o jogo contra o Porto.

Serrote, não é bem assim. Pode ser anónimo, no que diz respeito à sua identidade no mundo civil, mas aqui será sempre o Serrote, não será o "anónimo das 15.56" ou o "anónimo das 16.02" e, podendo parecer que não, isso faz toda a diferença. Ou penava que podia chegar aqui e escrever aquilo que bem entender, sem ter nenhum tipo de responsabilização? Não, já sabemos que a pessoa que assina como "serrote" não diz nada de concreto.

José Gonçalves disse...

Não parecendo, parece que parece o que parece. Caso contrário, pareceria que não parecia o que parecia e, claro, não quereria parecer o que não parecia, sob pena de parecer o que não parecia.
Assim sendo, parece que parece o que parece!

QuemSouEu disse...

A mim parece-me é que o David Luiz devia ter sido expulso por pisar o Miguel Garcia e que o Nuno Gomes está fora-de-jogo no segundo golo do Benfica. Mas só me parece, não sei... Talvez a vós, arautos da moralidade, pareça outra coisa qualquer, algo do género de parecer aquilo que vós quereis que vos pareça. Parece-me também que os adeptos do clube que goleia toda a gente já estão preocupados com o que se vai passar dia 20 a partir das 20h15. Mas só me parece. Claro que se não é isto que vos parece a vós, arautos da moralidade, dos golos em fora-de-jogo e das agressões impunes, então peço desculpa e vou fazer com que me pareça aquilo que vocês querem que pareça. Ou seja, aquilo que vos der mais jeito. Bem hajam por me divertirem, obrigado.

Serrote disse...

Tá certo, tá certo.
Ora Bolas! (quaisquer umas, desde que não sejam de futebol)
Oh Rui, agora também os "AUTORES do blog" comentam os comentários?
Também querem ser ACTORES, pelos vistos (lidos).
Vão começar com "Censuras"?
O que será que lhe fez pensar que eu queria "dizer" alguma coisa?
Aqui, na "área de comentários" comentam-se, supostamente, os vossos post`s.
Então vocês atiram os "foguetes", na minha muito modesta opinião, bem atirados e depois não deixam agente ajuntar as "canas".
Parece que vou desertar da vossa "área de comentários" e limitar-me a ler os vossos post`s, enquanto valer a pena.

O "farelo" ou "serradura" do "serrote" não é para chatear, é para aproveitar para fazer as ruas do Presépio, porque o que os Senhores e as Senhoras das árvores de Natal vendem está um bocadinho para o caro.

P.S.
parece que andam aqui, nos comentários, mais alguns a não "dizer" nada de concreto.

José Gonçalves disse...

Caro Serrote

Parece que costuma ler o blogue.
Parece que sabe que, por norma, não comento comentários (fi-lo 3 ou 4 vezes), mas acho que o seu parecer também merecia o esclarecimento. Julgo que continuará a fazer jus ao seu nome, cá por casa. :)

José Gonçalves disse...

Caro quem és tu, se é que pensas que sabes se és, amanhã irá a resposta em 3 linhas. Q.b.
Ainda bem que nos divertimos mutuamente :)

Rui disse...

Eu, cá por mim, sempre fui actor e autor. Sempre atirei canas e fui buscar canas minhas e de outros.

Porque raio é que eu não poderia comentar os posts dos meus colegas e até os meus próprios.

Agradeço a suas simpaticas palavras, Serrote. Mas neste caso, o justo terá mesmo de pagar pelo pecador.

Este blogue não permite comentários anónimos. E anónimos deve-se ler apenas aquele que assina como anónimo, pois pouco interessam aqui as identidades que cada um tem nas suas vidas reais. O Rui Gamboa, o José Gonçalves, o Pedro Lopes, o Manuel Lima, o Zé Carlos, o Pedro Silva, o Serrote, o Fiat Lux, o Papio, que nome queiram dar, são nomes que representam personagens aqui dentro da blogosfera.

Digo-lhe uma coisa, no entanto, daí até se chegar ao pondo de se chamar de censura?!?!

Censura?!?! Quem quiser escreve o que quiser aqui. Dito isto, tudo o que vier a seguir nunca poderá ser chamado censura.

Censura seria se nós estivessemos a filtrar os vossos comentários, a ver quais seria ou não passíveis de serem publicados.

QuemSouEu disse...

Caro José Gonçalves, nem imaginas o quanto ansiosamente espero por essas 3 linhas. Espero 3 linhas coerentemente benfiquistas. Daquelas que parece que só podes estar a brincar com a malta mas depois lembramo-nos que os comentários vêem de um benfiquista cuja falta de vitórias tolhe de tal forma o discernimento e o raciocínio que afinal acredita que aquilo que diz é a mais pura das verdades. Viva o Benfica. Viva o David Luíz, o Nuno Gomes, a águia Vitória e o Barbas. Vivam as 3 linhas qb. Continuas com uma capacidade incrível em divertir-me. É um talento, está visto.

Anonimo disse...

"Este blogue não permite comentários anónimos. E anónimos deve-se ler apenas aquele que assina como anónimo, pois pouco interessam aqui as identidades que cada um tem nas suas vidas reais."

Por falar em anónimo:

Vai, não vai?!?!

Anonimo disse...

E, já agora:

http://www.cnpd.pt/bin/legis/leis_nacional.htm#Comunicacoes_electronicas

http://www.cnpd.pt/bin/legis/nacional/Lei32-2008_retencao_dados.pdf

De resto, de momento, só me ocorre o seguinte:

Muito boa noite.

Rui disse...

Anónimo,

Isso ainda deve ter dado algum trabalho fazer isso. Registar o nome "anónimo".

Não se esqueça de guardar a palvra-passe e o email de acesso.

Fantástico!

Jordão disse...

Meu caro vizinho José:

“Parece que o adversário correu como nunca tinha corrido.” Vamos lá ver uma coisa: as camisolas do Olhanense e os seus patrocinadores apareciam em horário nobre nas televisões ou nas capas dos jornais se a equipa do Jorge Costa tivesse empatado com o Vitória de Setúbal, por exemplo?! Esse argumento já não convence ninguém. Nem esse, nem a do autocarro.

“Parece que o adversário, contrariando o costume, foi agressivo até à expulsão.” Se não fosse o Jorge Costa a agarrar o David Luiz depois sofrer aquela entrada violentíssima do Miguel Garcia, esse teria, tal qualquer um de nós quando sujeito a uma situação daquelas, pedido explicações de uma forma mais viril, vá, ao seu agressor. O que na prática daria, no mínimo para amarelo e as suas devidas consequências. Por isso meu caro, as coisas não foram assim como disse. Isso da mania da perseguição já está um pouco gasto.

Quanto aos árbitros, por mim pode ser qualquer um, até Lucílio Baptista, veja lá. A atitude dos jogadores e todo o ambiente à volta é dão cabo de um jogo.

Cumprimentos.

José Gonçalves disse...

Caro Jordão (que saudades da dupla com este nome e o Néné)

É público que sou irracionalmente (em público; o resto trata-se em casa)benfiquista, sócio, com lugar cativo, cachecol e até umas viagens, por ano, a Lisboa para ir vendo jogos (poucas, porque a SATA acha deve praticar preços altos, em nome de Copenhaga). Tudo isso e mais o que quiser.
Tal facto, não me impede de exigir tratamento igual para todos os clubes. Todos, sem excepção, devem submeter-se às leis do jogo.
É essa a forma como encaro a disputa que nos anima anualmente:
sem subterfúgios, sem Canais Caveiras, sem aconselhamentos familiares, sem fruta de qualquer espécie, sem reuniõess em cafés de ex-árbitros para delinear estratégias, sem criação de um estado dentro do Estado, sem a violência extrema de impedir um clube, com a conivência das forças policiais, de festejar um título numa determinada avenida de uma certa cidade, sem candidatos a presidentes de Câmara (com cônjuges dentro das estruturas dirigentes de clubes concretos) a apelarem ao voto de adeptos insinuando cumplicidades e eventuais benessses futuras, sem presidentes de câmara a favorecerem, anos a fio, clubes concretos, sem presidentes de clubes a ufanarem-se por serem condenados por corrupção e ainda lhes verem ser atribuídos os títulos viciados e, caro Jordão, sobretudo, por ver aqueles que deveriam intervir (políticos) a olhar para o lado e a assobiar uma musiquinha, como se nada fosse com eles, etc, etc,. Por azar, será o seu clube (?) a estar no meio disto tudo. Que culpa tenho eu?!
Chame-me ingénuo, mas limito-me a constatar e ligar factos.
As incidências (linda palavra, à jornalista desportivo) dos jogos, per si, pouco me interessam. A causa de algumas delas, interessam-me e muito porque o futebol é o espelho do país e este em que vivemos está sempre na face oculta da Lua.
Acredito que, pelo que admiravelmente leio no seu blogue, que nos aspectos supra referidos, não divergimos, excepto na paixão clubística. Salutarmente!
Assim sendo, dou o usual mote: onde anda o Laurentino?

Sempre com consideração

* Relativamente à bola jogada, deu-me razão: correm como desalmados e agridem como hunos.