21 fevereiro 2010

A optação de Miguel Sousa Tavares

Miguel Sousa Tavares vive num estranho casulo desportivo, constituído por emaranhado de ideias muito próprias, geralmente envoltas pela película do seu imenso ego, que o levam a falar ou escrever sem o recatamento da precaução ou da paramologia.

Fala e escreve como se fosse o único ser culto à face da Terra.

Daí que, quando alguém decide lembrar-lhe os factos da vida, leve umas "pauladas", como ele diz que gostaria de dar aos que o contradizem, ainda que fundamentadamente.

Assim, em tempo de Quaresma, para lembrar que é pó e ao pó há-de tornar, nada como

A parrésia

Vamos contar mentiras, por Ricardo Araújo Pereira

A hipérbole

«Bharatpur bagged his first tiger at eight. By the time he was 35, the skins of the tigers he’d killed, stitched together, provided the reception rooms of his palace with what amounted to wall to wall carpeting. (…) The Maharaja of Gwalior killed over 1400 tigers in his lifetime»

Dominique Lapierre e Larry Collins, «Freedom at Midnight», pág. 174, 2ª Edição, 2003

4 comentários:

Homem do Norte disse...

Fosga-se, é só figuras de estilo para chamar mentiroso ao homem. Ainda leva com um processo.

Floribela disse...

"Fosga-se, é só figuras de estilo para chamar mentiroso ao homem. Ainda leva com um processo."

De esclarecimento, certamente.

Estou confusa.

FLORIBELA.

Floribela disse...

E também sou do Norte.

Continuo confusa.

FLORIBELA

Homem do Norte disse...

Uma mulher do Norte nunca se confunde. Atira-se de cabeça aos problemas e resolve-os.
Ao que parece, um dos escribas do regime mente quando fala ou escreve sobre determinados assuntos. Depois exige respeito e põe processos para tal. Vai perde-los todos.