05 março 2010

Central de Camionagem

É unânime que Ponta Delgada necessita duma central de camionagem. No entanto, um projecto desta dimensão e com as implicações que acarreta deve ser fruto de profundo debate. Desde logo, a localização. Parece evidente que a central deve se localizar o mais perto possível do centro. Só quem não se desloca do resto do Concelho e até do resto da ilha todos os dias para Ponta Delgada para trabalhar é que poderia pensar em construir uma central na periferia. Nem são precisos grandes estudos para perceber que: 1) ninguém está disposto a apanhar uma camioneta na sua freguesia e depois ter que fazer o transbordo na periferia e 2) As camionetas têm lotações de 90 passageiros, enquanto as mini-bus têm de 20. Pense-se em duas camionetas cheias a chegarem em simultâneo. Seriam necessárias 9 mini-bus prontas à espera. Pense-se no tempo de demora. Pense-se que algumas pessoas já levam uma hora do local onde moram até chegarem a Ponta Delgada e aumente-se o tempo do transbordo e depois da viagem da mini-bus. A localização deve ser, portanto, o mais central possível. Esta é, aliás, a prática comum em todas as cidades.

Mas onde? Uma rápida análise a Ponta Delgada mostra que a zona poente ficou extremamente fragilizada desde que o Hospital mudou de instalações. Do ponto de vista da gestão do crescimento sustentado da cidade, é evidente que é necessário investimento naquela zona. A partir daí, e perante estes pressupostos, tenta-se procurar uma localização que esteja disponível. Ora, é neste contexto que a CMPD procurou soluções nos terrenos que tem disponível para o efeito e foi neste contexto que surgiu, por exemplo, a hipótese do subterrâneo no Campo de São Francisco. Mas entretanto, surge a oportunidade de fazer a Central no terreno do União Sportiva, dentro duma lógica de parceira publico-privada. Uma solução que preenche os requisitos anteriormente referidos, mas com a vantagem em relação ao Campo de São Francisco de, por um lado, ser uma obra aparentemente menos trabalhosa e com menor impacto para os habitantes da cidade e, por outro lado, porque faz captação de investimento externo. Recordemo-nos que até o Governo tem uma agência que procura investimento externo para a região (APIA).

Porém, e como seria de esperar, uma obra desta natureza e dimensão e no centro de Ponta Delgada, terá sempre consequências a nível de trânsito, de enquadramento arquitectónico, de impacto social e económico na zona em questão. Tudo isso tem vindo a ser acautelado, segundo informações que foram fornecidas pela própria Presidente da CMPD na sessão de esclarecimento público que teve lugar na Junta de Freguesia de São José (dia 4 de Março 2010). Estudos técnicos foram realizados e apresentados de modo a antecipar o volume de tráfego que as zonas circundantes vierem a ter. Os resultados garantem que a construção pode avançar na zona. Além disso, qualquer construção obedece às regras presentes no PDM, logo a questão da volumetria estará de acordo com o que está predefinido para a área. De resto, parece claro que todos os empresários da zona ficarão a ganhar, com a dinâmica que a zona ganhará.

Este projecto nasce com um propósito claro: melhorar a vida das pessoas que utilizam os transportes públicos em Ponta Delgada. A partir daí houve que se tentar encontrar a melhor solução possível, dentro das hipóteses e limitações existentes, e é isso que foi feito pela Câmara Municipal de Ponta Delgada. Infelizmente, aquilo que se vê, por parte da oposição socialista, é um permanente azedume e posições irredutíveis do contra porque sim, sem qualquer tipo de sentido cívico.

8 comentários:

Kik disse...

Tudo o que escreves faz sentido mas o projecto que veio a público levanta muitas dúvidas, a cidade precisa de uma central de camionagem ou de um projecto imobiliário que prevê estacionamento para autocarros, são coisas completamente diferentes.

Anónimo disse...

texto muito bonito, mas totalmente desenquadrado com o projecto! até na argumentação aprecem ter dificuldades em justificar o projecto. o projecto em si é mau e as justificações que dão não têm nada haver com aquele projecto!

Rui disse...

O que me faz impressão é que ninguém encontra argumentação contra. Nada. Este comentário anterior enquadra-se perfeitamente no sindrome da oposição socialista, é do contra. Mas, já agora, obrigado pelo elogio.

Kika, em que medida são coisas completamente diferentes? Pelo que vi do projecto, parece-me exequível acumular as duas funções no mesmo complexo. Mas eu não sou técnico da área, tenho que acreditar na palavra daqueles e se eles dizem que sim....

ZEZE disse...

Rui, és um homem de fé! A fé é que nos salva! Mas, não acredites em tudo o que os politicos dizem (quer de um lado, quer de outro). Não sei se estou certo, mas ainda não ouvi técnicos a falar deste projecto!

Rui disse...

Zézé, na dita sessão pública, vários técnicos deram a sua opinião, é com base no que eles disseram que escrevi isto. Não podemos é admitir, como foi feito pelos vereadores PS nessa mesma reunião, que se coloque em causa a idoneidade desses técnicos. Mas de nenhuns mesmo. Nem dos que foram contratados para fazer os estudos (que foram apresentados), nem nos arquitectos da CMPD que apenas aplicam o que está presente no PDM e que foi devidamente aprovado.

Sinceramente, o que vejo é dúvidas totalmente infundadas. Parece que as pessoas falam de cor. Porque, como tentei aqui apresentar, tudo indica que é um projecto bem consolidado. É que nem contra-argumentação válida eu vejo, nem, muito menos, alternativas. Parece que estiveste lá, por isso ouviste o mesmo que eu, ouviste a opção por esta construção e esta localização e não ouviste nada de convincente do outro lado. Acho que não foi tempo perdido, pelo menos da parte que me toca, fiquei a saber muito mais sobre o assunto.

Abraço, Zézé, segue o bom trabalho no dedos no ar.

Horário Nobre disse...

A Central de Camionagem é uma prioridade na Cidade.

A marginal não é o lugar correcto para o convívio entre os turistas à espera do autocarro e os bebados relaxados a dormir nas arcadas.

Gosto de ver o Rui a chamar a atenção para os problemas URGENTES do concelho dirigido há décadas pelos PSD

Anónimo disse...

Olá, Rui!
Não é unânime que toda a gente ache necessário a construção de uma Central de Camionagem.
A solução de 2 parques de partida na periferia da cidade, cruzando a avenida e diminuindo o tempo de paragem nos locais habituais parece-me bastante melhor do que uma Central 'relativamente perto' do Centro.
Os utentes que saem da cidade por poente ficarão prejudicados com esta solução.
Concordo que a zona oeste da cidade precisa de ser dinamizada mas, construir uma Central de Camionagem não é solução para isso.
Um abraço
RX

Anónimo disse...

Estamos a falar de uma Central de Camionagem que à nascença está...morta.
Investimentos desta natureza necessitam de infraestruturas passiveis de crescimento a longo prazo.
A Central é necessária, mas a localizaçao proposta é incoerente. Estamos a falar de transportes colectivos, viaturas de grande dimensão e que necessitam de espaço para circularem.
A localização proposta em vez de revolucionar e facilitar acesso aos transportes colectivas, sem dúvida que irá ser um estrave a quem entra na cidade de Ponta Delgada.
Será que a localização da Central de Camionagem é compativel com as Festividades do Senhor Santo Cristo?