04 novembro 2006

God's away on business

Lê-se na 1ª página do Açoriano Oriental de hoje que, afinal, o apoio de 100 mil euros para o Lusitânia FC, resultou num erro dactilográfico da portaria, porque o artigo dizia “dificuldades financeiras” quando se devia ler “o apoio é para a promoção de produtos açorianos”. O ‘erro’ foi reconhecido pelo Secretário Regional da Agricultura e Floresta, Noé Rodrigues, e fica tudo bem, no fim de contas. Ou será que fica?

É mais que claro que foi um erro, mas porque, desta vez, a ‘negociata’ não foi bem encoberta. Em qualquer outro lugar do mundo, onde as instituições funcionassem verdadeiramente, o responsável (Sec. Reg. Agricultura) pediria a demissão e este episódio teria um peso determinante na imagem que o eleitorado tem do seu Governo e teria consequências nas eleições seguintes.

2 comentários:

PP disse...

Sem dúvida. O á vontade com que os nossos governates destribuem os dinheiros públicos, não receando consequências ou punição por parte do eleitorado, prova, para mim, que este governo tem conciência de que só uma pequena minoria do eleitorado Açoreano compreende a imoralidade e pouca vergonha destes subsídios.
Isto sim é despesismo, quando os politicos apelam á contenção e espiritoi de sacrificio, esbanjam 20 mil contos num apoio "de encomenda".

Pois um "pequeno erro dactilográfico". Não nos atirem areia prós olhos.
Deu polémica, por isso deram um "arranjo" no texto, para suavisar aquilo que já foi desmascarado.

claudio almeida disse...

O Senhor Secretário viu-se mal perante os lavradores da nossa região, de tal modo decidiu alterar o texto da portaria.
Sim senhor muito bem pensado.

Quer dizer, isso é claramente fazer o que lhes apetece! É mesmo revoltante.

"Há apetece-me alterar o texto! para não gerar mais polémica" e altera-se!
Epá, assim não chegamos a lado nenhum!

É atirar areia á cara das pessoas, como diz aqui o nosso amigo PP