11 novembro 2006

Sandinista


Daniel Ortega, ex-líder dos Sandinistas venceu as eleições presidenciais da Nicarágua. Com Hugo Chavez, Evo Morales e, claro, Fidel Castro, a esquerda mais radical da América Latina, toma novo fôlego, para alegria de alguns e apreensão de outros.

2 comentários:

Anónimo disse...

há um ano atrás, tive a oportunidade de conversar com o Miguel Urbano Rodrigues a propósito desta suposta "viragem" à esquerda na América Latina. o senhor tomou-me por seu correligionário e confessou, muito triste, que "ainda não era desta" que o comunismo triunfaria naquela zona, porque em conversa com Evo Morales (recordo que este senhor viveu com as F.A.R.C dois anos, e portanto conhece os "cantos à casa"), este disse-lhe que o que queria era o "capitalismo amazónico". as idiossincrasias dos líderes regionais, apesar de passarem despercebidas a um observador externo, são muito mais estruturais do que se imagina. não se pode falar de um bloco socialista na américa do sul.

miguel

PP disse...

Um fenómeno para ir acompanhando em paralelo com os acontecimentos no médio Oriente....os EUA são razão para tudo, desde levar os extremistas a promover atentados, a fazer, novamente, virar À exteema esquerada a América Latina.

SIm, porque devemos aprender com a História, olhar para ela...há quem diga que se repete, como os ciclos económicos, mas mais espaçados.