13 dezembro 2006

Os Açores vistos do Mar

Foi com um orgulho e uma satisfação especial que, ao assistir a um programa sobre criaturas do Oceano, no Discovery Channel, me deparei com imagens destes meus Açores, destas ilhas de bruma.

O programa debruçava-se sobre animais marinhos que conseguem atingir grandes profundidades, e elaborava uma espécie de lista, em contagem crescente, até ao animal marinho, no caso mamífero, que mais profundidade atinge no Oceano.
Depois de focas elefante, entre outros, e depois de mergulhar fundo (até com um pequeno submersível que atingia os mil metros de profundidade) noutros Oceanos, o autor/apresentador do dito programa desloca-se ao nosso Atlântico em busca da criatura que mais fundo mergulha, o Cachalote.

O local escolhido foram os Açores, apresentados como um arquipélago no meio do Atlântico e com um mar limpo onde vagueiam os mais variados seres marinhos, entre os quais o campeão de profundidade, o Cachalote, que pode mergulhar até aos 3.000 metros.

O programa limitou-se ao nosso mar, não visitou terra, e as imagens só mostravam as ilhas ao fundo. No entanto, o panorama do pico como pano de fundo, na Ilha que lhe dá nome, é uma imagem muito forte.

Senti, nos intervenientes do programa, uma enorme excitação ao vislumbrar os mais de 15 metros do dorso do Cachalote a vir à superfície para respirar, maravilhados com o cenário em que se inseria aquele momento. Depois, mergulharam ao seu encontro e, para compor o cenário debaixo de água, circulavam, num bailado de boas vindas, vários golfinhos.
Seguramente que esta experiência não foi só mais um mergulho para estes profissionais. Onde teve lugar? Nos Açores.

Reforço a ideia que já aqui defendi; são estes os Açores que eu idealizo, são experiências como esta, únicas, que devemos promover e incentivar. Sempre no mais profundo respeitos pela nossa fauna e flora, bem como pelo nosso mar e seus recursos.

1 comentário:

Rui Gamboa disse...

A pergunta que fica é se o Goveno Reg dos Açores teve alguma parceria com o Discovery, que tenha levado a esse programa?

Fiz alguma investigação nessa enorme net e não descobri nada sobre parcerias Açores/Discovery, fiquei no entanto, a conecer os valores que são gastos por ano na promoção turistica e desses quais os apoios comunitários PRODESA/FEDER, assim deixo apenas alguns numeros, se quiserem ver todo os projectos aprovados no ambito PRoDESA é só visitarem a pa´gina:

http://www.prodesa.raa.pt/projectosaprovPRODESA.html

Assim:

- em 2000/2001 na promoção turistica, a despesa publica foi de €6.687.525,27 e o apoio FEDER de €5.684.396,48

- em 2002 a D.P foi de €5.415.385,61 e FEDER de €4.603.077,77

- e por aí fora, se bem que vá reduzindo, a verdade é que com o novo projecto do golfe e os valores anunciados, temo que vá subir outra vez.

- além disso há valores na casa dos €300.000 por ano para promoção intercalar

- valores de €100.000/ano para a participação na BTL (bolsa de turismo de lisboa)

- além de tudo, mas tudo o resto, não só de turismo.

É preciso que fique claro, que eu acho bem que haja investimento no turismo, e o facto de estar a baixar é mau, agora, onde estão os resultados? Nós sabemos onde estão, estão nas portas do mar, apoios à construção de hoteis, etc

É uma questão de opções, de estratégia, o que é que queremos em termos de turismo, onde gastar esse dinheiro: preservar aquilo que temos (reduzir a destruição da nossa costa, por exemplo) ou o turrismo de massas (com impacto ambiental evidente)?

Enfim... (3 pontinhos)