28 janeiro 2007

O Travão do Turismo

O travão a que me refiro no título, é o proteccionismo dado pelo Estado Português, com a anuência do Governo Regional dos Açores, à SATA e à TAP, através da adjudicação, em exclusividade, das ligações aéreas com as Ilhas Açoreanas.

Foi esta a conclusão a que chegaram, mais uma vez, os empresários ligados ao sector turístico. O preço das passagens aéreas é, por si só, um grande inflacionador do preço a pagar por um pacote de férias nos Açores.
Se a esse maior custo – em comparação com preços praticados para outros destinos idênticos – associarmos o nosso clima imprevisível (também inflacionado no continente), ficamos numa situação de grande desvantagem, que pode comprometer a afirmação do “Destino Açores”, e provocar um desinteresse ou adiamento sem data, por parte de muitos continentais, que são uma importante fatia dos nossos visitantes.

Mas o mais grave, para mim, é venderem-se pacotes de férias de 7 dias nos Açores, com passagem de avião, mais hotel e, por vezes, já com carro de aluguer, a menos de 200 euros.
Este valor é menor do que o que os Açoreanos pagam, só pela passagem de avião até ao continente.
O que é feito dos “desconto” de que os Açoreanos beneficiavam, e que dá pelo nome de “passagem para residente”?

Parece que agora já não pagamos as dívidas da TAP, mas financiamos os descontos dos que para cá voam em lazer.!

Vamos ver se o lobby do turismo consegue “destravar” esse travão chamado proteccionismo Estatal, que não deixa funcionar o mercado.

9 comentários:

Rui Gamboa disse...

O preço de €200 para pacotes com tudo incluído para os continentais, não está em questão, aliás é com este tipo de medidas que se desenvolve o turismo por cá. Agora, e como bem disseste, não é compreensivel que nós açorianos, que deveriamos beneficiar de preços mais baixos, pagarmos mais. As razões para isso são tantas que nem é preciso insistir: é a insularidade em que vivemos, é o facto da SATA existir em 1º lugar para fazer um serviço público aos açorianos, etc.

Penso que se pode responder ao teu último parágrafo da seguinte forma: o lobby do turismo recebe essas 'benesses' como esses pacotes que referiste e a SATA/TAP contínua a fazer esses preços para os açorianos. Todos ficam contentes. Os empresários do turismo não querem saber muito se nós açorianos pagamos mais ou menos para viajarmos, o que até é compreensível, querem é ver o seu negócio a funcionar.

PP disse...

Então, caro Rui, temos de ser nós, os Açoreanos sem interesses no turismo, que têm de criar um Lobby para combater estes preços exorbitantes das passagens aéreas.

Sem preços justos, logo muito mais baixos, sentimos ainda mais a insularidade, e ficamos como que encláusurados nestes pedaços de terra rodeados por mar, a que damos o nome de Ilhas.

Um bilhete para sair desta "prisão" já custa quase 250 euros, 50 contos na moeda antiga.

Rui Gamboa disse...

Os charters, que tanto se fala agora, até podem ser uma boa opção, mas lá está, para os que vêem de fora. Nós poderemos ser beneficiados por tabela, ou seja com o aumento do turismo cá e aumento da produtividade, e podendo nós benficiarmos desses vôos. Ãgora não sei se esses charters são para a Europa se para Portugal continental.

Uma coisa é certa, a entrada de charters no nosso panorama não vai nunca acabar com a situação de monopólio da SATA, e como disseste, nem com o proteccionismo do estado, neste caso da Região.

Para corroborar o que dizer aqui fica uma lista de preços de passagens de avião desde Lisboa, está no netviagens.com, para quem quiser comprovar:

Dulbin €58
Praga €118
Nova Iorque €199
Pequim €399
Atenas €85
Istambul €85
Barcelona €48
Paris €78
Zurique €45
Los Angeles €299
Viena €60
Varsóvia €67

Se eu vivesse em Lisboa e tivesse as informações que passam sobre os Açores (o mau tempo), muito dificilmente não escolheria outro destino. Porque repara, antes ir a Atenas por 85€ e gastar o resto do dinheiro até €250 a ir às ilhas gregas, ou outra coisa qualquer.

Por mais 150€ vai-se ao outro lado do mundo.

Entenda-se que estes preços sãoi de ida e volta.

claudio almeida disse...

O actual modelo Turistico dos Açores defacto não está a resultar.

O Governo Regional tem vindo a anunciar todos os anos a criação de mais camas. Mas o que é certo é que as Taxas de ocupação estão a diminuir.

O governo Regional tem de ver que o somos uma Região Autonoma e estamos inseridos num contexto nacional. De tal modo que o Turismo passa essencialmente por investir no mercado nacional, e apartir dai passar para o Europeu e Internacional.

Uma questão que deixo. Segundo o Mário Fortuna, o Turismo passa por canalizar tudo para São Miguel, e apartir daí distribuir para as restantes ilhas. Acham que este método funcionaria?

Sérgio_Santos disse...

A mim até me apetecia GRITAR: corrupação, jogo de interesses, lobby!!!!!!!
Mas é melhor não... não vá dps ser processado como está a ser alguém que se atreveu a descrever o caso McDonalds como "corruptos".
A tarifa de residente é uma piada. A agência de viagens Abreu cobra 218€ pela viagem pra PDL e sem promoção, é o preço normal. E Nós, aqui achamos que somos uns sortudos do caraças pq temos tarifa de residente?!?!? só visto...
Enquanto se fizerem milhões de lucro com a SATA, não vale a pena pq quem manda, não deixa que se abram portas a outras transportadoras aéreas. A secretária do turismo deixou mesmo escapar, a propósito das low cost que não vale a pena abrirmos os açores a esse tipo de mercado pq o turismo açoriano não esta preparado. Então qual é que vem primeiro, o produto ou a necessidade de se criar o produto??

Rui Gamboa disse...

Caro Cláudio,

O Dr. Mário Fortuna é um economista e como tal tem uma visão prática das coisas. Acho não só que seria um método que funcionaria, como acho ser o melhor. Ponta Delgada deve funcionar como um centro de chegada para os turistas e depois usando a via marítima conhecer as outras ilhas por preços baixos. A fórmula que tem vindo a ser usada de ditribuir tudo por todos, não funciona, é preciso investir onde se sabe ser viável (ou pelo menos onde as perdas serão menores) para depois, sim, pensar em outros voos.

Rui Gamboa disse...

Caro Sérgio,

A questão que levantas no fim é sintomática e reveladora!

Sérgio_Santos disse...

Dizia ontem um membro do Partido Socialista no programa "Meia Hora" na RTP-Açores: "temos um serviço que garante a equidade aos açorianos e à economia açoriana...", referindo-se ao preço das viagens :)
Este Sr. podia fazer um programa de comédia, é que me fartei de rir com as palavras dele. Garante a economia açoriana se para ele, o bolso dos amigos a representarem.
Árrrrrreeeeeee

PP disse...

Pois é prezado Sérgio, mais uma frase sintomática do Estado da Região.

É o assumir de que, para além dos impostos, pagamos muito mais, para que a Economia se equilibre!!?

Árre burros daqui pra fora