25 fevereiro 2007

Colóquio "Dação e Transplante de orgãos"


"COLÓQUIO "DAÇÃO E TRANSPLANTAÇÃO DE ORGÃOS"


"Autonomia Individual e Solidariedade Social"

Caros colegas, realizar-se-á, no próximo dia 2 de Março, no Anfiteatro C da Universidade dos Açores, um seminário subordinado ao tema supra.
Neste seminário estarão presentes figuras de relevo nacional e internacional, conforme apresentado no programa anexo, pelo que temos a certeza de ser uma experiência que enriquecerá o vosso curriculo e conhecimento pessoal.
Esta iniciativa insere-se no âmbito da discussão da nova lei sobre o tema, e a circunstância de todos sermos potenciais dadores e receptores, desde que não declaremos o contrário.
A importância da autonomia que cada um de nós possui e o valor da solidariedade a que devemos aderir, devem nortear a nossa acção no sentido da preservação e promoção da vida, mantendo-nos dadores.


Os participantes terão direito a certificado, sendo que a vossa adesão, enquanto estudantes, custará a simbólica quantia de 5Euros.


Para fazer download do filme publicitário, clique no seguinte link:
http://www.sendspace.com/file/ovbejr

Para fazer download do prospecto do evento, clique no seguinte link:
http://www.sendspace.com/file/clbkxiAgradecemos se, da vossa parte, houver divulgação do referido evento.


Saudações académicas."
Por: Carlos Picanço, em www.na-cee.blogspot.com

3 comentários:

PP disse...

Um tema de importância fulcral.

A ciência, no caso médica, tem evoluido muito nesta àrea dos transplantes de orgãos, tornando possível o transplantes de muitos orgãos do nosso corpo.
O que é pena é que não haja, ainda, capacidade para colectar mais orgãos, em tempo útil, de modo a dar resposta às imensas pessoas que deles necessitam.

Muitas vezes não se salvam vidas, não por falta de resposta médica, mas por falta de um qualquer orgão para transplante.

Em Portugal foi dado, há uns anos atrás, um grande passo, pois foi elaborada uma Lei que obrigava quem não quisesse doar os seus orgãos a deixar essa vontade por escrito.
Antes, era o contrário.

Bom colóquio.
Cumprimentos.

C.P. disse...

Um dos nossos objectivos é "resolver" a questão de uma lei qua abre grandes portas não produzir efeitos.

Podemos falar da questão de infra-estruturas e demais questões..mas a grande questão, a meu ver, é o desconhecimento da lei por parte da maioria da população o que origina casos delicados aquando das oportunidades de colecta de órgãos pois as familias rejeitam tal ideia..o médico se bem que com uma efectiva base juridica fica, no entanto, numa delicada situação ético-moral.

Mas é bom ver que demonstra conhecimento e interesse sobre o assunto, que a todos nós toca e concerne..é por esta razão que eu e os meus colegas o "desafiamos" a juntar-se a n´s nesta jornada de reflexão sobre tão importante tema.

Inscreva-se com o prospecto que pode conseguir nesta página, no próprio dia ou então através do Rui Gamboa (fornece-lhe meu contacto). Julgo ser uma oportunidade única face às capacidades dos intervenientes no evento.

Cumprimentos

Carlos Picanço

PP disse...

Caro Carlos Picanço, desde já agradeço o seu convite, mas por razões de ordem laboral, não vou poder estar presente nesse Colóquio que muito me interessa, e que a todos importa.

Por a todos importar, e pelo facto de eu já ter precisado de sangue, procuro andar informado.

Outra das coisas que soube, é que o Hospital Garcia da Horta ficou com a responsabilidade e os meios para fazer cerca de 15 recolhas anuais de um dito orgão. O que é certo, é que 5 anos depois efectuou, somente, á volta de 18 (tou a citar os números de cór), por falta de agilização dos meios, ficando muito aquém das possibilidades reais.

Enfim, muito há a fazer nesta àrea, daí a importância e oportunidade deste encontro.

Boa sorte, e bom debate
Cumprimentos