09 março 2007

Aconteceu em...


9 de Março de 1500, Pedro Álvares Cabral zarpou de Lisboa, rumo a Calecute, a meio caminho descobriu o Brasil, que, no entanto, já era território português desde 1495, com o Tratado de Tordesilhas. Será que D. João II já sabia da existência do Brasil, quando exigiu que a linha do Tratado se estendesse o máximo para Ocidente?


4 comentários:

PP disse...

O tratado de tordesilhas, dizem alguns, que foi motivado por uma proposta feita por Cristovão Colombo ao Rei D.João II, que consistia no patrocinio da viagem rumo à Índia pelo ocidente. O Rei Português não aceitou tal proposta porque consistia numa volta muito mais comprida.

Devido ao insucesso em portugal Cristovo Colombo decidiu rumar a Espanha e apresentar a dita proposta, que foi aceite pela coroa espanhola, liderada por Isabel a Católica.
Colombo terá partido a expensas de Espanha, descobrindo as Antilhas, de que fazem parte a Républica Dominicana, o Haiti,etc...e Cuba que, defendem alguns, seja o nome da terra Alentejana de Cuba, onde Colombo, eventualmente, nasceu.

O que é certo é que passou por Porto Santo.

Quando o rei D.João II soube da noticia ficou desiludido mas, lembrando-se do antigo tratado de Alcáçovas, reparou que as terras que Colombo descobriu se situavam na parte portuguesa.
Daí nasceu a rivalidade Luso-Castelhalhana. Para acabar com essa rivalidade o Papa Alexandre VI (origem espanhola) propôs a divisão do mundo por uma linha traçada pólo a pólo, passando 100 léguas a oeste de Cabo verde. Mas o D. João II não aceitou, porque -aqui reside o busílis da questão- já devia ter conhecimento de umas terras de vera cruz. Foi, então celebrado com o rei de Castela um novo tratado, o tratado de Tordesilhas, onde ficou contratualizado que o mundo fosse dividido por um meridiano situado a 370 léguas das ilhas de Cabo Verde. As terras descobertas ou a descobrir, a oriente daquela linha imaginária, pertenciam á coroa portuguesa, enquanto as situadas na outra parte ficariam para Castela.

È mais ou menos isso.

Uma data que demonstra bem a importância, grandiosidade, riqueza, poderio, e capacidade "negocial", entre outras, que o nosso Portugal já teve e já foi.

Mas, "contra os canhões marchar, marchar." ;)

Rui Gamboa disse...

É isso. Talvez D. João II já tinha conhecimento de terras brasileiras. A verdade é que a proposta de Colombo era para ir para a India. Como João II era um tipo bastante esperto e tinha vários estudiosos ao seu serviço, já sabia, mais ou menos que a maneira de ir para a India era à volta de áfrica.

Não é estranho que, após a bula papal, João II tenha exigido que a linha fosse ao máximo para Ocidente, em tordesilhas? uma vex que, oficialmente, não havia mais nada a ociendente de cabo verde.

E todo percurso de joão ii mostra que era homem extremamente calculista e não fosse a morte, estranaha, diga-se do filho, numa queda de cavalo, treia havido a tão desejada união ibérica, com capital em lisboa e com o poder portugue^s.

rasputine disse...

a ideia era afastar os espanhóis o máximo possível das rotas portuguesas que passavam por áfrica. D João II sabia que existiam terras a oeste, mas tendo de escolher, devido à falta de meios, escolheu o oriente, mais rico, e fez com que os espanhóis fossem para a América

PP disse...

Caro "rasputine",

a explicação que dá, digamos que é a que reza a História, pois a outra (de supor que D.João II já tinha conhecimento do Brasil) não é sustentável em termos documentais, e é menos provável que se soubesse da existência de um "corno" de terra, nas Américas do Sul.
...enquanto África já era nossa.

Cumprimentos, meu caro