28 maio 2007

Como se faziam (fazem) as coisas

Em 1962 o Departamento de Defesa dos EUA, aprovou um plano que ficou conhecido como Operação Northwood, que tinha como finalidade a invasão da ilha de Cuba, depor Fidel Castro e apoiar um regime pró-americano. Para tal, o DoD planeou uma série actos de terrorismo, que deveriam ser cometidos em solo norte-americano, ou contra interesses americanos, e onde se deveriam depois colocar “provas” que incriminassem Cuba, para que depois, através do controle das principais cadeias de televisão, pudessem iniciar uma campanha, junto da população americana, que levasse à aprovação de tal invasão a Cuba. O plano foi levado ao Secretário de Defesa da altura, Robert McNamara, que o rejeitou.

Os actos de terrorismo que o DoD queria fazer são muitos e da mais variada natureza, deixo apenas dois exemplos:
(com uma tradução feita em cima do joelho)

“É possível criar um incidente que demostrará convincentemente, que um avião cubano atacou e abateu um avião charter civil que faria uma ligação entre os EUA e qualquer sítio como Jamaica, Guatemala, Panamá ou Venezuela. O destino seria escolhido apenas para se poder criar um plano de voo que sobrevoasse Cuba. Os passageiros poderiam ser um grupo de estudantes universitários, que iriam em férias, ou qualquer grupo de pessoas com um interesse comum, que os levasse alugar um charter.”

“Poderá dar-se início a uma campanha de terrorismo, feita por comunistas cubanos, na área de Miami, noutras zonas da Florida e mesmo em Washigton(...)”
Quem quiser ver o documento na íntegra, está disponivel aqui.

5 comentários:

Pedro Lopes disse...

Meu amigo, de quando em vez descobres "pérolas" como esta.

Destaco o título, pois a possibilidade de terrorismo de estado como este caso, poder ainda ter lugar nos dias de hoje, é algo assustador.

Lembras-te da "tal" tese que diz que o 11 de Setembro teve idêntica "preparação", e que os terroristas eram de dentro e não de fora. Acho-a, exageradissíma.

Tivemos Gonzalez, ex-chefe de estado espanhól, que foi condenado pelo conhecimento de um grupo de extreminio de possíveis ètarras, organizado, segundo me recordo, pelo seu ministro do interior.(?)

Mais recente é o "caso" Lidvinenko, e o recente pedido de extradição de um ex- KGB. Temos estória, ou talvez até se faça História!

Gostava de poder dizer "no tempo da guerra fria as coisas faziam-se assim", mas a possível actualidade de cabalas como o caso em apreço, deixa-me enojado.....para além de outros sentimentos.

Rui Gamboa disse...

Pedro, devemos antes de mais tentar saber os factos. E a verdade é que muitos factos foram encobertos pela administração norte-americana sobre o 9/11. Ainda me custa a perceber como é que a torre 7 d WTC ruiu, já no fim do fatídico dia, levando a que muitos interesses fosses potenciados.

Basta fazer alguma pesquisa, aqui mesmo na net, para se ficar certas coisas como a participação recorrente da CIA no tráfico de droga entre a América do Sul e os EUA. O roubo do cadáver de John Kennedy, quando Lyndon Johnson era empossado presidente, para que se fabricassem provas no corpo de JFK que levassem a que ficasse provado que tinha sido Oswald o atirador. Esta Operação Nortwood, Watergate, etc, etc. E todos estes casos levam sempre às mesmas pessoas e famílias ,entre elas os Bush e os Rockefeller.

Conhecendo o antigo Sec Defesa, Robert McNamara que rejeitou essa operação e conhecendo o Sec. da altura do 9/11, Rumsfeld, não me estranha que um tivesse rejeitado e o outro aprovado... Ainda que McNamara esteja cheio de sangue nas mãos, é preciso não esquecer que esteve entre os 'mestres' dos bombardeamentos a Hiroxima e Nagasaki e que era o Sec durante a maior parte da guerra do Vietname.

Pedro Lopes disse...

Pois, recordo-me, também, de um video que mostra o Pentágono e a explosão.....mas não mostra o avião? E podiam ver-se buracos nas paredes do edifício, que dificílmente poderiam ser resultado de um embate de um avião(?)é como dizes, há algumas questões no ar, que deixam espaço a especulação......

Castro, e o seu regime, deu, e tem dado, muito "trabalho" aos serviços secretos dos EUA......

É assustador como um simples "sim", de um desses homens, pejados de poder sujo, pode condenar à morte compatriotas (inocentes). Uma sentença de morte em nome da patria?!!?!?Ainda os condecoram depois, por "serviços" prestados à nação?!!!?!

E depois os outros é que são os terroristas.......

Pedro Lopes disse...

...mas continuo a recusar-me a acreditar nessa tese, em relação ao 11 setembro.

Rui Gamboa disse...

Eu também. Mas também não acredito na explicação oficial, há muitas imprecisões. Custa muito tentar, sequer pensar que foi um acto preparado pelos prórprios para eternizarem o seu poder no mundo.