14 junho 2007

O Clone


Eu admito que já critiquei diversas vezes Scolari, principalmente nas escolhas das Selecção para o Europeu 2004, em Portugal e para o Mundial 2006, na Alemanha. A verdade porém é que foi com ele a Selecção de Portugal chegou à final do Euro e à meia-final do Mundial. No entanto, reafirmo a minha convicção que a derrota contra a Grécia em 2004, em plena Luz, foi por sua culpa. Não foi audacioso, aliás foi conservador como sempre o é. Recordo-me perfeitamente de, já perder, retirar o Pauleta para por o Cristiano Ronaldo a jogar a ponta de lança. O resultado foi que o madeirense caiu inúmeras vezes em fora-de-jogo, porque não estava rotinado para o lugar. Enfim, outras histórias, que já passaram, mas que ainda custam...

Vem isto a propósito das paupérrimas exibições que a Selecção de Portugal de sub-21 tem vindo a realizar no Europeu, na Holanda. Com jogadores de altíssimo gabarito e qualidade, o treinador José Couceiro, não consegue formar uma equipe que jogue futebol. No tal malfadado Europeu de 2004, Scolari fez algo muito simples, mas que agora parece complicado; ele colocou a jogar o meio-campo vitorioso e rotinado do FCP, que havia vencido tudo com Mourinho. Na altura todos dissemos que com aquela equipe, ele tinha mesmo que chegar à final e vencer. Ora, actualmente a Selecção sub-21 tem todos os jogadores do (excelente) meio-campo com que o Sporting jogou esta época. Não seria do mais elementar bom-senso aproveitar o trabalho e as rotinas de uma época inteira e que deram tão bons resultados? Mas não, José Couceiro aparentemente tem outras ideias fantásticas, mas que não dão resultados e Portugal é dominado e batido por equipes de menor qualidade.

Por outro lado, Couceiro portou-se de uma forma inqualificável no jogo contra a Holanda. Certamente que ao ver as suas asneiras, virou-se contra a equipe de arbitragem – que fez uma má exibição – esbracejou, discutiu, saiu por diversas vezes da área que lhe é reservada, etc. Resultado: foi bem expulso. Agora eu pergunto; uma equipe de jovens, que já têm uma certa mania de discutirem por tudo e por nada com os árbitros e que têm fama de atirarem-se para o chão, não deveria ter um treinador que desse o exemplo e não fosse o primeiro a ter esses comportamentos?

É caso para dizer: para ser o Mourinho não basta ser clone.

2 comentários:

Pedro Lopes disse...

Um post oportuno, meu caro amigo.

E acertado também. Aproveitar o que tão bons frutos tem dado no Sporting, era, realmente, do mais elementar bom senso.

Mas quando se quer inovar, mesmo que destruíndo boas rotinas de jogo, corre-se o risco de escorregar e cair. Foi o que aconteceu a José Couceiro, que depois de ver a barracada que deu, logo se pôs a esbracejar, aproveitando o frete do árbitro.

Enfim, com tão boas árvores, colheram-se tão pobres frutos, e Couceiro, enquanto "jardineiro" é o culpado.

Rui Gamboa disse...

E não é que continuam a falar mal de tudo e de todos. Estava a ouvir o Rui Caçador a falar em lobbies, etc, etc. Ele até pode ter razão, não sei, mas a verdade é que não olham para si próprios antes de falarem mal dos outros. Se Portugal tivesse um bom conjunto, não havia arbitragem má que os derrotasse. E esse tipo de comportamento reflecte-se depois em campo, com jogadores mal-criados, arrogantes e com mania que são estrela.