05 setembro 2007

Pepe na Selecção Nacional


A convocação de Pepe para a Selecção Nacional de Futebol levanta, novamente, o problema dos estrangeiros a defenderem a bandeira de Portugal. O precedente foi aberto com Deco, portanto agora resta estabelcer regras e critérios para futuros casos. E para aqueles que dizem que com esta convocatória se está a "tapar" o lugar dos jovens portugueses, eu respondo que, com esta convocatória se está a elevar o nível de exigência, obrigando a que esses mesmos jovens trabalhem mais.


A França foi campeã da Europa e do Mundo com poucos jogadores nascidos no hexágono; na Espanha joga um brasileiro, chamado Marcos Senna; na Alemanha jogam diversos jogadores oriundos de África, e na Selecção Nacional de Portugal jogam, ou já jogaram, vários jogadores nascidos em Angola, Moçambique, Cabo Verde, etc. e noutras modalidades há vários atletas naturalizados a defender as cores portuguesas. No futebol, hoje em dia, o que interessa é ganhar e para ganhar é preciso ter os melhores jogadores e Pepe será um excelente reforço para a Selecção Nacional.

4 comentários:

pedro lopes disse...

Rui, para mim, o nível de exigência dos jogadores portugueses deve ser elevado, essencialemnte, pela melhoria de condições e maior competitividade do nosso campeonato nacional. Só assim, seremos mais do que, apenas, uma selecção nacional.

A nossa selecção deve ser a "montra" do que de melhor temos. O (meu) Sporting, há muitpo que aposta nas camadas jovens, com os resultados que se conhecem... ;)

Não me agrada ter uma selecção assente em grandes jogadores, que não sentem o peso da camisola como um jovem que começou a jogar futebol aspirando, sonhando, em vestir a comisola da selecçaõ do seu país.

Não sejámos inocentes ao ponto de pensar que um jogador nascido noutro país e que, por ter trabalhado e vivido uns anos em Portugal, já possa sentir a honra e orgulho, que sente um nacional, sem o estímulo da sua valorização enquanto jogador.

OS Europeus e os Mundiais de futevol - aliás, as selecções nacionais por si só, - são uma oportunidade de ouro para a valorização de um jogador, só pelo facto de ser um dos 25 eleitos para representar o seu pa´+si numa destas competições.

Por isso, digo Basta de jogadores naturalizados, por melhores que sejam.

.....qualquer dia tinhamos, não a selecção nacional, mas a selecção dos melhores jogadores da primeira Liga

Rui Gamboa disse...

Então o critério (de que falo no post) para ti, será "sentir o peso da camisola"? Como se pode avaliar isso? Penso que é um "contrato" em que ambas as partes ficam a ganhar, o jogador porque entra nesse mundo dos mundiais e europeus, e as Selecções porque ficam mais fortes.

Não estás arrependido pelo Deco fazer parte da Selecção, pois não?

O Pepe, por exemplo (e o Deco tb) se não fosse Portugal, não seria o jogador que é, ele formou-se, enquanto jogador, em Portugal. E tenho a certeza que, pelo menos, o Deco teria lugar na selecção brasileira, e mesmo assim optou por Portugal, portanto acho que há já um (tal) sentimento de portugalidade, porque prefere defender as cores nacionais àquelas do seu país.

E como se pode explicar que o Nani jogue na Selecção Nacional, ele que nasceu (penso que) em Cabo Verde e lá viveu até aos 15 ou 16 anos, só depois indo para lx? E como o Nani há muitos outros exemplos?

Enfim, acho que se há um incremento evidente na qualidade da Selecção, não há razão para não os convocar.

pedro lopes disse...

Rui, o caso dos nascidos nos ex-PALOP merece, a meu ver, um outro entendimento e tratamento, nem vou explicar porquê.....

Quando falo em "sentir o peso da camisola" (linguagem do "futebolêz"), refiro-me ao sentimento que todos os emigrados sentem em relação ao seu país de origem, ou seja a saudade e a certeza de ser aquela a "sua terra", a sua patria.

O Deco entrou para a selecção nacional, porque ainda não tinha convites do Brasil, e porque aqui tinha mais hipóteses. Vê como foi da selecção para o Barcelona.!

Eu prefiro jogadores de origem portuguesa, e não, apenas, de nacionalidade portuguesa.

São opiniões, meu caro. As nossas, nesse caso, divergem.

SPN disse...

Quero só reforçar que o Deco só foi para a Selecção de Portugal, porque não foi convocado para a Selecção do Brasil.
Só depois de saber que não seria convocado é que se deciciu por Portugal.
Não vale a pena ser ingénuo.
Em caso de hipótese de escolher, nenhum brasileiro abdicava da Selecção do Brasil para representar Portugal.
O que não impede dele estar a dar tudo pela nossa selecção.