24 setembro 2007

The Police

A "Máquina de Lavar" presta homenagem aos The Police, que vão dar amanhã um concerto no Estádio do Jamor.
Na Playlist estão 5 temas do primeiro álbum de originais dos Police, Outlandos D'Amour, de 1978. Duas são conhecidas, Roxanne e So Lonely. As outras três, nem por isso, mas Masoko Tanga é "fantabulástica", para usar um termo de um nosso muito prezado leitor.

3 comentários:

Anónimo disse...

...
Este leitor tem a discografia completa da Banda em vinil ! Andava a espremer as borbulhas da adolesc�ncia - os meus caros confrades porventura ainda gatinhavam - e a banda que mais curtia eram os The Police. N�o sei se iria ao concerto pois creio que n�o devemos voltar aos lugares onde j� fomos felizes. Seja como for a banda j� deu o que tinha para dar desde que Sting resolveu armar-se ao pingarelho. Pessoalmente o melhor da banda era o Stewart Copeland e bem gostaria de ter a OST que fez para "Rumble Fish" e um disco chamado "The Rhythmatist." Os outros perderam-se pelo caminho e de Sting s� h� um disco fantabul�stico p�s-Police : "Bring on the night"
Como sempre a playlist fica a rolar enquanto vou para outros afazeres !
JNAS
(a.k.a. prezado leitor da m�quina de lavar)

Rui Gamboa disse...

Ora aí está um filme que já não ouço falar há anos, aliás é um filme que gostaria de rever, agora que já estão passados alguns anitos. Mickey Rourke e muito novinho Matt Dillon. A minha memória desse filme está muito turva...

Foi com os Police que fui "apresentado" ao tipo de que fiquei a gostar. E foi exactamente este Outlandos D'Amour, primeiro, e Synchonicity depois, que ouvi repetidas vezes, quase todas "obrigado" pela força dos manos + velhos. Há males que veêm por bem. Daí esta playlist ter de ser toda com aquele 1º disco dos Police.

pedro lopes disse...

Pois, de facto o concerto de hoje, não provocou grandes alaridos, talvez porque muitos pensem como o JNAS, a acreditem que "não devemos voltar aos lugares onde já fomos felizes".

Eu, que também ainda "abanei o capacete" ao som de vários temas dos "Police", talvez também não fosse a este concerto, pois estes "ajuntamentos" para digressões de despedida, cheiram-me sempre a exploração de um mito vivo, o que me deixa logo desmotivado.

Enfim, fizeram a sua época.