08 janeiro 2008

"Para quê a Torradeira, se não tens o Pão?"

O Secretário de Estado da Segurança Social, Pedro Marques, foi incumbido da árdua tarefa de explicar aos portugueses, em especial aos pensionistas, a “racionalidade” da decisão do Governo em dividir pelos restantes meses do ano, os retroactivos dos (míseros) “aumentos extraordinários das pensões até 600 euros”.

Tal pagamento ia – segundo as novas regras –, ser efectuado agora em Janeiro, representando um acréscimo médio de cerca de 10 a 15 euros para as referidas pensões.

O Secretário de Estado vê esta medida como uma forma dos pensionistas não perderem – ao longo dos restantes meses do ano –, poder de compra, na medida em que estes “têm as suas despesas mensais fixas, tais como as contas da água e gás, bem como comprar o arroz e o pão”.

Para comprar pão e arroz!?!! (é o assumir de que não dá para mais…)

E então se o pensionista quiser comprar a torradeira em Janeiro?

O Governo alterou as regras duas vezes; primeiro quando decidiu pagar os aumentos das pensões de reforma em Janeiro e não em Dezembro como acontecia; depois, porque decidiu, agora, não pagar a totalidades desses aumentos, mas antes repartir esse valor por 14 meses.

Resultado; Quem quiser comprar a torradeira, vai ter de pôr de lado os cêntimos mensais referentes ao “aumento extraordinário” da sua pensão, e aguardar pelo fim de 2008 para comprá-la.

5 comentários:

Sérgio_Santos disse...

Já estou a ver longas filas de reformados à porta dos bancos/financeiras a solicitar empréstimo a 12 meses pra comprar a torradeira. :)
Quando chegar a vez dos reformados pagarem o IRS, também vão explicar ao ministro das finanças que optam por pagar em 14 meses. Não vá o Governo gastar o dinheiro todo de uma vez.

SB disse...

já mudaram de ideia. o ministro já anunciou que os retroactivos vão ser pagos de uma só vez e já em Fevereiro ;) que venha daí o microondas já agora.

Anónimo disse...

“Tome lá quarenta escudos e não gaste tudo em remédio…….”

Queixava-se o mendigo de não saber o hino nacional, de nunca ter tido grande sorte com as mulheres ou de ter sido especial nalguma coisa. Passava o servente do povo, que ainda dorme para o mesmo lado e que trocava as considerações todas por uma distância segura do aposentado.

A pessoa quando se envolve consigo mesma, tem sempre recursos para nunca partir corações.

JRV disse...

Antes de mais, bom ano de 2008 para o Máquina de Lavar e para o Pedro Gomes e Rui Gamboa

Relativamente aos aumentos que iam ser paciais e que serão pagos agora na integra, a postura do Secretário de Estado reflecte o tipo de momentos em que os responsáveis públicos ganhariam muito mais em estar calados. Ou, em alternativa, parar apenas entre 1 a 2 segundos antes de falar.

Mas, pelos vistos, este governo brinda-nos com disparates deste tipo com uma invejável regularidade.

pedro lopes disse...

Caro JRV, que me perdoe o "Pedro Gomes", mas eu vou "comprar" os seus votos de bom ano.
Obrigado, em meu nome e da "máquina"

Depois dizer que folgo em saber que a idade do Ministro Vieira da Silva lhe deu algum discernimento para recuar na decisão, já tomada, e eficazmente defendida pelo seu Secretário de Estado da Segurança Social.....bem, agora a veemência das palavras de Pedro Marques até dá vontade de rir...(e o ar paternalista que este jovem coloca nas suas palavras)

Agora, em lugar dos reformados, a vítima é Pedro Marques....

N.B.- vão disparar, já em fevereiro, as vendas de pequenos electrodomésticos, mas, prezado Sérgio, já não há argumento para pagar o IRS em "suaves prestações" ;)