08 janeiro 2008

Candidatos e Candidatos


Se Barack Hussein Obama ganha em New Hampshire fica numa excelente posição para ser o candidato Democrata à Presidência dos EUA e com grandes hipóteses para ser o sucessor do pior Presidente de sempre da História da América.


E se de facto Obama vier a ser Presidente dos EUA, então haverá uma grande mudança na hyperpuissance, que mais nenhum outro candidato, de qualquer um dos lados, pode garantir. O pluricultural Obama é mesmo a encarnação do sonho americano e aquilo que se deseja quando se fala em "lufada de ar fresco na política".


Do lado Republicano, Huckabee só ganhou Iowa devido ao sorriso Colgate do Chuck Norris.... é que só pode.

2 comentários:

pedro lopes disse...

Rui, estou de acordo contigo quando dizes que Obama representa uma "lufada de ar fresco na politica".
Este vai ser um ano de decisão de candidato e de presidente.
Obama ainda tem de trilhar um longo e duro caminho para ultrapassar a mais que querida Hillary. Não vai ser tarefa fácil.

Quanto ao vídeo, por momentos dei por mim a pensar que esta era uma conferência de imprensa de Scolari, pois estava ver Gilberto Madeíl a rir-se, em lugar do "carismático" Chuck :) :) :)


(uma "placa branca" para conservar a "boa imagem")

Rui Gamboa disse...

Não ganhou o Obama, mas a candidatura continua firme, apesar de se tivesse ganho hoje, já teria meio caminho andado. Mas se Obama de facto vier a ser o candidato e depois Presidente, o resto do mundo tem que dar o braço a torcer que a América é mesmo um país incrível, apesar de tudo. Há 50 anos atrás Rosa Parks recusou-se a dar o lugar a um branco num autocarro, numa altura em que a segregação era prática institucionalizada nos EUA e o Ku Klux Klan era uma organização de milhões, hoje um afro-americano pode vir a ser o próximo Presidente. É no minimo incrível.

Do lado republicano, esse Huckabee teve aquilo que se chama o primeiro milho, porque a nomeação vai para outro lado. Atenção, muita atenção a John McCain, que venceu hoje New Hampshire, um conservador do mais lixado que há, que ao contrário de Bush, não precisa que outros decidam por ele, o que por um lado até é melhor.