09 fevereiro 2008

Da Minha Perspectiva


Depois deste post, vou tentar não escrever mais sobre as primárias (é que ainda só estamos nas primárias) nos EUA. No entanto, uma pessoa lê tanta coisa por esta blogosfera fora, que se sente na obrigação de também contribuir para o debate.

E isto até é relativamente simples e faz-se em breves palavras. A desistência de Mitt Romney não quer dizer, nem de perto nem de longe, que o Partido Republicano está agora mobilizado em redor da candidatura de John McCain. Quer dizer, antes de mais, que Romney percebeu que já não consegue chegar à nomeação. Depois, há um pormenor de grande importancia, é que Romney ainda não declarou que desistiu a favor de McCain. Uma coisa é dizer as palavras de circunstância, "temos que remar todos para o mesmo lado" e assim. Outra coisa completamente diferente foi aquilo que Giuliani fez, desistiu e declarou com todas as palavras que passava a apoiar a candidatura de McCain na corrida dos Republicanos. Há uma enorme diferença.

E também não gosto de insistir na C.P.A.C. (Conservative Political Action Conference), onde estão todos os principais Republicanos a decidir o futuro não do Partido, mas da ideologia Conservadora. É que, se Romney fosse apoiar McCain este seria o local ideal para o anunciar. Não o fez. Também não quer dizer que não venha a fazer, mas não o fez. E isto pode ter uma leitura simples, como bem ficou demonstrado no vídeo do post de ontem, os Republicanos estão divididos em relação a McCain. Romney, ao não anunciar o apoio a McCain, tomou uma das duas únicas posições possíveis... e não é apoiar McCain, é a outra.

5 comentários:

Anónimo disse...

é compreensível esta indefinição, devem estar à espera de algúm conselho do Sr. Pinto de Sousa, esse indutor maior da geografia política dos cinco continentes, ....primeiro é preciso ver para que lado corre a consciencia maior de espírito da serra

Sérgio_Santos disse...

A verdade é que assistimos a declarações de membros republicanos, dizendo que preferem que ganhe um candidato democrata do que McCain.
Contudo, este candidato merece a minha admiração pela sua franqueza e honestidade. Ao que parece, é mesmo uma opinião geral.
Este é dos poucos políticos que também se assume como ser humano, consciente dos seus erros. Como tal, vêmo-lo a assumir publicamente os seus lapsos, e a admitir que erra. Essa honestidade e transparência joga muito a favor dele junto dos eleitores.

Rui Gamboa disse...

O que conta, Sérgio, é o programa eleitoral dele, que é decididamente muito mais Democrata que Republicano. E como se sabe, há uma grande parte do eleitorado norte-americano que é profundamente conservador.

E os Democratas, por muito que possam admirar McCain, votarão no seu candidato. O mesmo já não se pode dizer do lado Republicano.

Permite-me acrescentar um ponto: como sabemos o que se passa neste momento é a eleição de delegados para o Congresso que irá decidir o candidato. Enquanto Romney não manifestar o seu apoio a McCain, os delegados que já elegeu podem não votar McCain e chegar-se mesmo ao absurdo de ser Hunckabee o candidato, com a soma dos seus delegados, mais os de Romney.

Enfim, é apenas um cenário. Uma coisa é certa, neste momento o Partido Republicano está dividido.

Sérgio_Santos disse...

Sim, eu entendi isso, mas foi como disse, acho de louvar a postura do homem.
Hoje em dia, um político honesto, humano, que diz a verdade, é uma espécie em vias de extinção. Este tipo agrada-me por isso.
Acho que no fundo, ambos são bons candidatos, capazes da tal "mudança", mas todos têm falhas. Não há um candidato perfeito.
Uma mulher, um negro e um republicano demasiado democrata. Sem dúvida que é uma escolha difícil. No entanto, uma coisa é certa, qualquer um deles é melhor que o actual.

Rui Gamboa disse...

Bush deve ter sido o pior Pres. dos EUA. DIgo "deve" porque não conheço toda a História dos EUA. Por isso, é mesmo verdade que qualquer um é melhor que Bush.

Eu também aprecio muito McCain. E o facto de ter sido um POW no guerra do Vietname, onde foi torturado e que nunca abandonou os seus homens, fala a seu favor.