12 março 2009

O Fim ou o Começo?

As afirmações de Paulo Casaca sobre a perda de confiança do PS em si devido ao artigo do Expresso, levam às seguintes conclusões:

1) Em termos pessoais, a prioridade de agenda política de Casaca é, claramente, o Médio Oriente. Mas, porque é deputado eleito pelo PS, no círculo dos Açores, teve de passar a defesa dos interesses das nossas ilhas para primeiro lugar. Isto pode-se comprovar quando o próprio afirma certeza sobre ter "mais questões parlamentares que tenham a ver com os Açores, do que o Médio Oriente". Não fossem as questões do Oriente tão importantes para a sua pessoa e não teria a necessidade de tal justificação.

2) A questão mostra também debilidades importantes dentro do PS, que até há pouco tempo eram impensáveis. Só num clima de manifesta intranquilidade é que se aceita esta posição por parte das cúpulas, porque de outra forma, teria dado para aguentar o pseudo-choque. A fazer fé nas palavras de Casaca, há dedo de Lisboa na decisão, sendo que a nomeação para a Câmara de Ponta Delgada tem que ser analisada a outra luz.

3) À primeira vista, surpreendente, a nomeação de Casaca para concorrer à CMPD poderá ser, afinal, o resultado de um conjunto de males menores.
Quanto ao PS: nenhuma das figuras com aspirações pós-César está para sofrer uma pesada e marcante derrota, assim Casaca surge como alguém, que sendo certo que não vence, ao menos é a garantia de ter um nome conhecido na linha de partida.
Quanto a Casaca: perdido o lugar no PE, terá que regressar aos Açores. Assim, a corrida à CMPD pode-lhe dar a oportunidade de, por um lado e depois da normal derrota, trabalhar tranquilamente e conhecer melhor tudo o que foi feito na maior cidade açoriana nos últimos dez anos. Por outro lado, para as bases socialistas, ficará com uma imagem de mártir que até lhe pode vir a dar muito jeito no futuro, caso tenha aspirações a outros vôos....pois poderá vir a ser uma espécie de Mad Max, surgindo no cenário do pós-guerra apocalíptica que se prevê para o PS nos próximos anos.

11 comentários:

Toupeira disse...

Caro Rui
César quando compôs o actual governo não quis designar um delfim (para isso já tem um em casa, para mais tarde, numa imitação barata soarista). Deixar correr as águas e ver o desempenho dos putativos candidatos poderá ser uma táctica que não é, de todo, dispicienda. Também não será de desprezar a imitação do pior Soares, querendo manter o partido sob o seu guarda-chuva, a fim de alimentar o seu enorme ego. Lá voltamos ao delfinismo caseiro, mais tarde, mais tarde. Relativamente a Casaca, no meio disto tudo, falta saber se há má vontade do PS regional, se há imposição do PS nacional ou se é vontade do próprio Casaca começar a preparar-se para 2012. Certo, certo é que pensar que as autárquicas de 2009 em PDL já têm um vencedor antecipado poderá ser uma tese perigosa, principalmente para quem quer governar em 2012.

Rui Rebelo Gamboa disse...

Pois é, caro Toupeira, falta saber, falta saber, falta saber, mas nestes casos, nunca iremos saber ao certo o que se passou e dado que as situações são públicasm nada mais normal que tirar as conclusões ou fazer extrapolações com aquilo que se sabe.

Por outro lado, é claro que nenhuma eleição está ganha, mas para saber isso, ia falar com o La Palice ;) Também não vejo, sinceramente, a perigosidade. Aqui, trata-se pura e simplesmente de dizer aquilo que se pensa, não há, pelo menos da minha parte, nenhuma estratégia escondida. Pois, só posso entender a questão da "tese perigosa" partindo de um pressuposto que há mais do que as palavras dizem. Não há.

Voto Branco disse...

Quem é que vai "virar a Casaca"?
Bem, voto na hipótese de imposição do PS nacional. Fazendo uma análise simplista, acho muito estranho que seja um "lisboeta" e não um "micaelense" a ser o candidato. Enfim, na politica tudo é possível...
Cá por mim... vou fazer umas contas!

Voto Branco disse...

Perguntas Parlamentares
7 de Dezembro de 2007 E-6120/07

PERGUNTA ESCRITA apresentada por, Paulo Casaca (PSE) à Comissão

Assunto: Castração de leitões

Na sua resposta às perguntas E-3037/07, E-3038/07 e E-3041/07, a Comissão afirma que os leitões «imunocastrados devem ser inspeccionados individualmente na linha de abate para verificar a ausência de odor sexual. Neste contexto, um objectivo possível poderia ser atingir níveis de odor sexual nos animais imunocastrados» que fossem «semelhantes aos níveis actualmente observados em resultado da castração cirúrgica».

De acordo com as informações de que dispomos, é suficiente um controlo visual na linha de abate para apurar se a imunocastração resultou: os testículos destes suínos não estão inteiramente desenvolvidos. Tanto quanto é do nosso conhecimento, não existem outros meios para inspeccionar o odor sexual nos suínos imunocastrados, para além do controlo visual das suas carcaças.

Poderá a Comissão informar em que argumentos se baseia para afirmar que o nível de odor sexual nos suínos imunocastrados difere aparentemente do correspondente nível dos leitões castrados em resultado de intervenção cirúrgica, levando-a por conseguinte a admitir que as carcaças dos leitões imunocastrados têm mais probabilidades de apresentar odor sexual?
SIM, ISTO É VERDADE... NÃO SEI O QUE VOCÊS ACHAM, MAS PARA MIM ISTO É HILARIANTE!!!
FONTE: PARLAMENTO EUROPEU

Rui Rebelo Gamboa disse...

...que não se "imunocastre" os coelhos do louçã...

Voto Branco disse...

Perguntas Parlamentares
30 de Abril de 2007 E-2315/07

PERGUNTA ESCRITA apresentada por Paulo Casaca (PSE) e Jamila Madeira (PSE) à Comissão

Assunto: Impunidade das companhias de aviação

No passado dia 13 de Abril, o aeroporto de Bruxelas cancelou o seu serviço a partir da manhã sem qualquer aviso prévio e sem dar quaisquer garantias sobre a hora ou data de recomeço da sua actividade.

De acordo com o veiculado pela comunicação social, as companhias de aviação pediram pesadas indemnizações ao Aeroporto de Bruxelas.

No entanto, as companhias aéreas parecem bastante menos interessadas em ter em conta os prejuízos causados aos seus passageiros, sendo que em determinados casos, como foi o da companhia portuguesa TAP-Air Portugal, as companhias agravaram esses prejuízos.

1. Como já se vem tornando habitual, a TAP informou os passageiros de um atraso de menos de três horas, a fim de não se considerar abrangida pelas disposições do nº 1 do artigo 6º do Regulamento nº 261/2004(1) e apesar de ser óbvio que esse atraso nunca seria inferior a três horas.

2. Mesmo quando acabou por informar do cancelamento do voo, a companhia ignorou a legislação vigente, nomeadamente os artigos 5º e 8º do Regulamento em causa.

3. A companhia acabou por cobrar a preços substancialmente superiores um novo bilhete de um aeroporto alternativo (Amesterdão), ou não propor nenhuma alternativa tendo que ser os passageiros a encontrar essas alternativas (Londres), sem sequer devolver as somas inicialmente cobradas.

Em particular, o fornecimento de informação manifestamente implausível — quando não seguramente falsa — aos passageiros com o aparente intuito de contornar a legislação tem como consequência o aumento dos prejuízos incorridos pelo atraso ou cancelamento dos voos pelo passageiro, que se vê impedido de tomar medidas para encontrar alternativas de viagem ou de calendário para os seus compromissos profissionais ou pessoais.

A impunidade das companhias aéreas não é de resto exclusiva desta companhia nem desta matéria, tendo-se já verificado a recusa de indemnização por roubo ou por extravio temporário de bagagem ou mesmo de normas básicas da legislação nacional, como a disponibilização de um livro de reclamações.

Nesta circunstância, o principal efeito visível da legislação europeia é o de tornar ainda piores as consequências para os passageiros dos atrasos e cancelamentos de voos.

Que medidas tenciona tomar a Comissão para acabar com o actual estatuto de impunidade das companhias de aviação?

SERÁ QUE TEREMOS UMA MUDANÇA DE POLITICA QUANTO À SATA??? Neste caso o Sr. Casaca pareceu muito preocupado com os abusos... isto vai um "virar a Casaca".

FONTE: PARLAMENTO EUROPEU

Toupeira disse...

Caro Rui
Obviamente não estava a insinuar qualquer teoria da conspiração por detrás da minha ideia de perigosidade. Isto é mais a velha questão do ovo e da galinha. O que quis dizer é que poderá ser perigoso, em termos de resultados eleitorais e, portanto, politicamente, que quem a vox populi dá como vencedora das autárquicas em PDL "despreze" tal adversário. No mais (falta saber, falta saber...), trata-se de um pequeno exercício conspirativo elaborado por mim, sobretudo porque parto duma análise da postura socialista na política nacional. Nada mais, sobretudo porque o post é perfeitamente claro e traduz muito do que todos pensamos. Espero ter esclarecido melhor o que supra quis dizer, sem qualquer mal-entendido.

Rui Rebelo Gamboa disse...

Caro Toupeira,

Nada de mal-entendidos... Estamos aqui é exactamente para ir trocando ideias. E isto seria uma chatice se concordassemos em tudo.

Toupeira disse...

Desta vez o Voto Branco está a trazer coisas novas e pertinentes para mais tarde verificar. Doutro modo, talvez um dia seja pertinente perguntar a Paulo Casaca o que é que ele pensa do prejuízo que a SATA (e a TAP) está a causar aos açorianos e o que o mesmo fará para que o farrabodó acabe. Boa ideia Voto Branco!

Toupeira disse...

Caro Rui
Estamos de acordo, nem sequer passou por mim qualque outra ideia. Trata-se mais, e sempre, de uma clarificação de ideias e, por isso, o comentário e a resposta servem para isso mesmo. E que assim todos os bloguistas se mantenham, se queremos liberdade de expressão. A diferença é o que nos une, senão estariamos todos na quinta e isso nós não queremos.

Voto Branco disse...

Caro Toupeira,
Fico feliz que tenha gostado... nem só de castrações de leitões (nem sei se serei capaz de voltar a comer uma sande de leitão só de pensar no odor sexual do bicho) e de criação de coelhos (peço desculpa às coelhas pela discriminação) sei falar... é evidente que o meu diploma de secundário não dá para muito mais!
Saudações.
P.S.: Espero que meus comentários não "firam" susceptibilidades!