07 abril 2009

O que significa, afinal, ser Reformado?

Para o comum dos mortais, uma pensão de reforma só é paga a partir dos 65 anos, ou, mais cedo, se por razões de invalidez (incapacidade física ou psicológica para o trabalho), devidamente comprovada através de uma Junta Médica.

Mas, como é sabido, muitos gestores de empresas públicas e de outros organismos Estatais, começam a auferir pensões de reforma, logo após saírem dos cargos que exerciam nessas empresas ou organismos. A CGD e o Banco de Portugal, bem como os Deputados da Nação e das Regiões Autónomas, para além de alguns gestores públicos, mesmo após breves passagens por estes cargos, ao abandonarem as suas funções - e não me refiro a retiradas por invalidez -, são imediatamente brindados com pensões de reforma vitalícias, independentemente da idade que tenham.

Recordo-me, de há uns anos, receber um e-mail que dava conta das chorudas reformas de ex. deputados da nossa ALR, cujo número de titulares igualava os actuais membros do nosso parlamento.

Quem não se recorda de Campos e Cunha que, por breves 5 anos como funcionário do Banco de Portugal, ao sair, levou consigo uma pensão vitalícia de cerca de 5. 000 euros (cinco mil euros) mensais!!!? E Armando Vara, que ao abandonar a CGD (para ir para outra instituição bancária) foi promovido a funcionário de topo, para, assim, poder aceder a uns milhares de euros que lhe serão pagos até morrer !!! A CGD "defendeu-se" afirmando que era prática comum?!?!?

O economista Silva Lopes, em entrevista a Mário Crespo, alude a esta vergonhosa situação, e defende - e eu subscrevo -, que qualquer pessoa, independentemente das funções que exerceu, se não estiver incapaz para o trabalho, só poderá ter direito a receber a sua pensão, quando completar o seu 65º aniversário. Os exemplos devem vir de cima….

N.B.- Sócrates, nos seus primeiros anos de PM, teve a coragem de tomar medidas que limitaram a acumulação de vencimentos e pensões de reforma a titulares de cargos públicos. Mas, ainda assim, persistem situações de verdadeiro escândalo.

10 comentários:

Luís Almeida disse...

Caro Pedro, subscrevo na totalidade o teu post. Mas os exemplos não se ficam por aí.

Voto Branco disse...

Caro Pedro,
Antes de mais não considero que os politicos ganhem muito dinheiro. Basta olhar para o que ganham os altos quadros das grandes empresas nacionais. Mas, é claro, que têm que justificar aquilo ganham e por vezes isso não acontece!
Quanto às reformas é verdadeiramente escandoloso, palavras para quê? Estar 2 legislaturas no parlamento dá direito a reforma vitalicia, mas que raio! Mas antes de sair têm direito a um subsidio de reintegração. Não precisam de justificar as faltas de doença desde que não excedam os 5 dias seguidos - a palavra do deputado basta para a falta ser considerada justificada. São estas regalias desproporcionadas da realidade dos trabalhadores portugueses, sejam eles públicos ou privados!
Inventam-se Comissões parlamentares, de acompanhamento, de amizade por tudo e por nada, para quê? Algumas até têm sentido, mas outras dá mesmo para ver que é para viajar "à pala" ou então fazer "gazeta" (basta olhar para o hemiciclo em alguns dias, com as bancadas despidas)!
E as despesas com um dos deputados eleito pelo circulo eleitoral do resto do mundo, o qual tem residência no Rio de Janeiro e durante 5 anos tem direito a viagens todos os meses, de ida e volta em 1.ª classe, para ele e para a familia. No país que o acolheu (Brasil) diriam ("é uma sem vergonhice")!
Estas são algumas das imoralidades cometidas pelos politicos em Portugal...
Não há moralidade, não há um pingo de vergonha... por isso VOTO BRANCO!
Saudações

Toupeira disse...

Atenção à actualização da relação de dependentes


PREPARANDO A DECLARAÇÃO DE IRS 2008!!!

Já actualizaste a tua lista de dependentes do IRS ? Não?


Então podes copiar da minha.



DECLARAÇÃO ANUAL DE RENDIMENTOS - IRS

(Por definição, são meus dependentes, todos aqueles que SOU OBRIGADO,
POR LEI, A SUSTENTAR)

RELAÇÃO DOS MEUS DEPENDENTES:

01) Presidência da República e assessores;

02) Governo e assessores (até mesmo os familiares nomeados por
clientelismo político);

03) Câmara Municipal de ... e assessores, (até mesmo os familiares nomeados
por
pelo mais puro nepotismo, quer pessoal, quer político); (idem) ; Há
Municípios onde trabalha a família toda do Presidente e do seu Vice, bem
como antigos opositores.....

04) EPAL (e similares) (consumos mínimos);

05) EDP (consumos mínimos);

06) TELECOM; TMN; etc.

07) Gás de Portugal (consumos mínimos);

08) Beneficiárias da taxa de saneamento básico (recolha de lixo, etc);

09) Centros de inspecção de veículos;

10) Companhias seguradoras (seguro automóvel obrigatório) ;

11) BRISA - Portagens;

12) Concessionárias de parques e estacionamento automóvel;

13) Concessionárias de terminais aeroportuárias e rodoviários;

14) Instituições financeiras - Taxas de administração e manutenção de
contas correntes, renovação anual de cartões, requisição de talões de cheque
etc.;

15) Mais de 250 deputados da Assembleia da República, com os
respectivos ESQUEMAS de apoio.

16) BPN, BPP e demais esquemas de enriquecimento fácil de
administradores e gestores cleptomaníacos a que o estado entrega os impostos
que pago, para evitar o
alarme social e financeiro.*

Voto Branco disse...

EXCELENTE TOUPEIRA!!!
EXCELENTE!!!
EXCELENTE!!!
EXCELENTE!!!
Já li o Post há 5 minutos e continuo a rir!
Só faltou os deputados da ALRA, Presidente do Governo Regional, Atlânticoline, etc... etc... foi esquecimento, gentileza ou delicadez?
Saudações

Toupeira disse...

Foi um gentil esquecimento, à espera que o caro Voto Branco aparecesse para completar. não me enganei!

Pedro Lopes disse...

Carissímo "Toupeira",

mesmo no sub-solo, e sem olhos, vossemecê vê bastante mais do que alguns que têm 3 olhos e vivem à superfície... :)

O seu comentário seria hilariante, não fosse o acaso de ser uma verdade dura de aceitar. Valorizou e complementou o meu post com situações concretas das nossas sangessugas....a que você, gentilmente apelida de "dependentes".

Sinceros cumprimentos

Jordão disse...

Sim senhores. Muito bem tanto o caro vizinho Pedro Lopes como os mui dignos comentadores. Só pequeno reparo (ao caro Voto em Branco): acho que os políticos ganham muito mas muito dinheiro em Portugal, pois é uma vergonha ver muitas famílias a sobreviverem com 450€ ou reformados que trabalharam toda a sua vida com reformas de misérias de pouco mais de 250€.
Cumprimentos a todos e que continuem sem papas na língua, ou nos dedos nesses caso.

Rui Rebelo Gamboa disse...

Caro Jordão,

Tens toda a razão em relação às misérias que ganham algumas famílias, mas não me parece que a comparação com o que ganham os governantes seja a melhor. O problema dos baixos salários em Portugal e respectivas baixas reformas, é um problema estrttural, do qual não depende só a vontade política, mas sim do próprio tecido empresarial. Eu também acho que os políticos deviam ganhar mais, mas com outro tipo de regras, desde logo em relação às reformas.

No resto, de acordo com os comentários e com o excelente post.

Legoman disse...

Sr. Lopes,
vejo que o solinho da esplanada lhe fez bem. ;)
Completamente de acordo ctg e com o Silva Lopes (tb vi a entrevista). Para além de ser escandaloso os valores que se pagam de forma vitalícia a alguns que desempenham um determinado cargo, parece-me ainda pior modalidade, vitalícia. Quando se fala tanto de sustentabilidade do sistema social, parece-me um grande tiro no pá, pagarem-se valores a um cidadão que daria para pagar reformas minimas a largas dezenas de outros que mal têm para pagar os medicamentos (nem para genéricos).
Tens razão quando dizes que o governo de Sócrates no inicio do mandato ainda mudou algumas coisas, contudo, como o poder corrompe, perdeu-se pelo caminho. Certamente as pressões dos colegas foram mais fortes.

cumps.

Voto Branco disse...

Caro Jordão,
Concordo plenamente consigo nas reformas de misérias e nos baixos ordenados, mas isso não significa que os politicos ganham muito dinheiro.
Como fiz que questão de referir, o principal problemas dos politicos é não justificar o que ganham... seria bonito aplicar o SIADAP ou SIADRAPA, aos senhores politicos em Portugal... ou então que fossem obrigados a preencher o QUAR. Cá para mim a maioria nem sabe o que é isso...
Saudações