18 abril 2007

Enxurradas

Outra vez choveu muito, em São Miguel, e outra vez as ribeiras encheram, porque estão entupidas com troncos de madeira. Desta vez foi (outra vez) na Ribeira Grande. Quantas desgraças serão necessárias, para se tomar medidas eficazes? O melhor, talvez, será limpar tudo “para debaixo do tapete”, para que as estrelas da telenovela, não fiquem mal impressionadas. De resto, é assobiar para o lado, como o costume.

4 comentários:

Pedro Lopes disse...

Sempre que chove muito, ou verificam-se deslizamentos de terras, ou as Ribeiras entopem com a acomulação de detritos deixados nas margens das mesmas, ou que lá vão parar com as derrocadas (originadas pela falta de raizes que fixam a terra).

Desta vez, como dizes, foi na Ribeira Grande, e o dique, - provocado pela acomulação de detritos (na sua maioria restos de desmatamentos) - que se formou na ponte da cidade, fez transbordar as àguas.

Há muito tempo que se fala de uma conveniente limpeza das ribeiras e cursos de àgua, mas esta tarda em ser feita convenientemente.

Será que estamos a precisar de um subsidio, de pagar aos "mateiros" para não deixarem os restos dos SEUS desmatamentos, nos locais e nas ribeiras.??

A ver vamos!

Rui Gamboa disse...

Era o que mais faltava!

MHita disse...

é a política do deixa andar. Sai muito mais caro realojar as familias do que fazer um ordenamento correcto do território.

Pedro Lopes disse...

Pois é, cara mhita,

é, sem dúvida, mais caro (não só em euros, mas também no custo humano), realojar as familias afectadas por estas intempéries.

E estamos a falar em situações em que não ocorrem fatalidades, mortes. Nestes casos, chegam depois as lamentações, mas tarde.

Vamos lá ver se não é preciso que a "casa seja roubada, para se pôrem trancas nas portas...e janelas".