24 novembro 2007

Não ao referendo #2

O desafio foi lançado para a blogosfera discutir a forma de aprovação do futuro Tratado Europeu. Assim, cá ficam mais uns argumentos, depois destes e destes, a favor da ratificação parlamentar.

No fundo, a minha preocupação relativamente ao Referendo é simples: receio que a Democracia portuguesa não esteja suficientemente amadurecida, para haver um debate sério sobre o Tratado, em si. Receio que a discussão resvale rapidamente para questões pontuais, internas, da ordem do dia. E não acho ser um receio infundado, pois basta recordarmos as últimas eleições para o Parlamento Europeu, onde Sousa Franco perdeu a vida, no meio de uma rixa entre facções do PS. Foi uma oportunidade perdida para se debater as questões europeias e a integração, preferiu-se, como sempre, o populismo fácil para caçar os lugares em Estrasburgo. Foi, de facto, uma campanha vergonhosa, a todos os títulos. O resultado foi uma taxa de abstenção elevadíssima.

1 comentário:

pedro lopes disse...

Meu caro, eu também partilho dessa tua inquietação.

Desta vez segue sem referendo, mas outras questões haverá que merecerão um (Referendo). A ver se na altura se promove um debate sério e sem ataques mesquinhos e infundados.

A bem de uma democracia plena e amadurecida.