18 abril 2010

A SATA é do PS

A SATA é, de facto, um caso curiosíssimo de incoerências. Admito que ultimamente a empresa pública de transporte aéreo tem sido alvo de muitas críticas injustificadas. Admito, inclusivamente, que parece-me que está “na moda” falar da SATA. Mas, convenhamos que é fácil a nós, açorianos, queixarmo-nos da aviadora regional, desde logo porque sentimo-nos legitimados para tal, por via de sermos contribuintes e porque sentimo-nos justificadamente maltratados.

Comecemos pelo anúncio feito pelo secretário-geral do PS-Açores, no fim do Congresso da aclamação e do yes sir. Diz-nos o secretário-geral do PS-Açores que promete que vai baixar os preços das passagens aéreas entre os Açores e continente. Dois comentários merecem-me esta anormal situação. Primeiro, é o reconhecimento público, por parte do secretário-geral do PS-Açores, que andamos a pagar muito caro e que sempre houve espaço para baixar os preços. Porque, se, como se sabe, os preços do petróleo estão a subir, a tendência nunca seria baixar preços, mas sim aumentar. Isto significa apenas que os açorianos andaram estes anos todos a pagar muito mais do que o necessário. Ora, numa lógica de serviço público, onde já contribuímos, sobremaneira, para a sobrevivência desta empresa pública e todos os empregos a ela inerentes, andar a pagar preços abusivamente caros, é, no mínimo, insultuoso! Vem agora o secretário-geral do PS-Açores emendar a mão e dizer que afinal há espaço para baixar preços, num acto que se compreende apenas porque o PS-Açores sente-se nervoso com a perspectiva de perda de poder e está a usar todos os trunfos. Ou seja, como sempre, é uma promessa eleitoralista. Só que desta vez, os açorianos percebem a milhas que se trata de “publicidade enganosa”. E isto leva-me à segunda consideração sobre este caso, que é bem curta: espero que o Presidente do Conselho de Administração da SATA tenha estado atento ao Congresso.

Agora uma questão mais terrena. Como nós, residentes, sabemos, temos direito a uma tarifa que ronda os 150€ para ida e volta ao continente. Essa tarifa está, no entanto, condicionada a alguns factores, como a antecedência na marcação e a impossibilidade de alterar as datas. A SATA socorre-se que esta é a forma como as low-cost operam e se nós tanto reclamamos por essas empresas de baixo custo, não podemos depois nos queixar. Nada mais falacioso e injusto. É que quando esta situação se coloca nas low-cost estamos a falar de tarifas que rondam os 20€ ou 50€ e não 150€. Faz toda a diferença …. bem, pelo menos, para o comum dos mortais. E depois, há sempre a questão da SATA ser uma empresa pública, para a qual nós contribuímos. Portanto, meus caros senhores que ocupam as chefias, mas que, como se viu anteriormente, não decidem patavina, não nos tratem como crianças, para isso já basta o senhor secretário-geral do PS-Açores.

9 comentários:

Farto de Carregar o Fardo disse...

Pois é, como diz, tudo por cá é de César. E como César é o Presidente do Governo e do PS Açores, tudo é deles.

Os que estão nas empresas e serviços públicos são lá postos por César, logo é ele quem dita as regras. Para as más noticias estão lá os carolas para dar a cara, quando é para anunciar coisas boas está o Grande César para colher os louros.

Até os empresarios têm medo de dizer alguma coisas porque o Governo é quem dá e quem tira, por ficam todos caladinhos à esoera da sua vez.

Ainda dizem que vivemos em democracia!

Anónimo disse...

Muito bem dito e melhor escrito . Essa é uma bandeira que carrego há muito.
JNAS

geocrusoe disse...

Na generalidade concordo com as ideias do post, mas discordo de todo com a frase "Só que desta vez, os açorianos percebem a milhas".
Eu, o autor do post e alguns outros percebemos, mas a maioria dos ilhéus nem relaciona preços do petróleo com os da SATA e vão sobretudo atrás do populismo de quem está no poder.
Aliás, se não fosse assim, Portugal não estava como está, nem se dizia que falar verdade não dá votos.

Jordão disse...

99% de acordo contigo e 100% com o geocrusoe! Nós temos os políticos que merecemos.

Anónimo disse...

Sr. Rui,

sugiro que faça um post do historial do PSD acerca de transportes enquanto este partido esteve no governo.

Diga quanto custava as ligações e quanto demoravam. Tiveram 20 anos no governo, faça a diferença entre o primeiro governo do PSD e o último.

Depois faça o mesmo exercicio relativamente ao governo do PS.

Pode não querer saber, mas só por acaso os transportes foram a pior marca dos governos do PSD. Diga-se a verdade, teve muitos aspectos positivos que devem ser a bandeira do PSD. mas não foi os transportes e os açorianos sentiram isto na pele

Marina da Vila disse...

Os açorianos sentem na pele todos os dias a mão do PS. Só um governo com palas é que faz permanecer uma região afastada do mundo. Será para conservar o poder?

Rui disse...

Ao anónimo das 18.32,

Acho totalmente irrelevante para o caso o que outros partidos fizeram ou não quando estiveram no poder, em matéria de transportes. Em quê essa sua análise contribui para esta questão? Estamos a falar do passado bem recente, em que a SATA disse variadas vezes que não há espaço para baixar os preços, estamos a falar do presente e estamos a falar do futuro. Daí que eu, admito, falho em compreender a pertinência da sua análise.

Mas já que se quer falar do passado e dos governos PSD, então seja. Numa breve retrospectiva, aquilo que se constata é que a SATA Internacional só ganhou vida já nos governos PS. Coincidência, ou se calhar talvez não (não, não foi de certeza coincidÊncia), a SATA Internacional foi projectada pela Dra. Berta Cabral. Mais, é sempre muito fácil apontar as falhas dos governos do PSD, mas nunca se analisa os enormes capitais que passaram a ser tranferidos para a região, aquando dos governos PS. Uns com uma origem muito pouco digna, leia-se António Guterres, outros, os da UE, porque nos anos 90 assistiu-se a uma alteração do paradigma dando-se relevo à coesão, o que se traduziu na prática e no que aos Açores dizem respeito em os quadros comunitários de apoio aumentarem exponenciamente. Só para que conste e num exercício de memória, informo que o 1º quadro comunitário de apoio (89-93) trouxe para os Açores cerca de 300 milhões de euros; o 2º (94-99) 700 milhões; o 3º (00-06) 850 milhões; o 4º (07-13) 1.500 milhões de euros. Certamente compreenderá que muito havia a fazer naquele final da década de 80 começo de 90, as bases foram lançadas, para que depois, com os verdadeiros milhões comunitários, se investisse no restante.

Aquilo que se vê, porém, é que os governos PS investiram, sim, mas numa sociedade altamente dependente de apoios governamentais, seja via RSI (somos a região com mais alta taxa), seja por via da subsidio-dependência do empresariado.

Ainda assim, o que fica disto tudo é que César esteve a guardar o ás de trunfos até ao fim, os preços das passagens, mas não compreende é que o aguentar esse ás, significou que nós, açorianos/residentes), ficássemos aqui anos a alimentar não se sabe bem o quê. Se isso não é enganar a população....

Por fim, não compreendo também porque razão não assume a sua identidade, o seu comentário, apesar de não ser minimamente relevante para o texto escrito, não tem nada de mais, tenta justificar este erro grosseiro do PS, com o recorrer ao passado (típico), mas até é bem estruturado e sem ataques ad hominem, que geralmente é o que leva as pessoas a recorrerem a este tipo de anonimato. Por isso, assuma a sua posição.

Cumprimentos

Anónimo disse...

Sr. Rui,

Saber o que o PSD fez em matéria de transportes não é importante? Claro que é foi o pior dos governos do Dr. Mota Amaral. Há matérias que o PSD teve mérito não é transportes e a mania actual do PSD pelos transportes só lhe fica mal face ao seu passado o PSD deveria era aprender com o PS quanto a transportes, como o PS devia aprender com o PSD em matéria de educação.

Em que anos é que a aviação internacional teve maior crescimento? Fala de Guterres e Cavaco? Porque é que não se fala da trágica história do PSD no transporte marítimo? Com todo o respeito pela Dra. Berta Cabral, que tem muito mérito em Ponta Delgada, não foi ela que fez da sata internacional o que ela é hoje.

O que eu digo é que o PSD devia pensar duas vezes antes de falar de transportes e quando abrir a boca para falar de transportes apresentar todo o seu modelo completo de aéreo, marítimo e de mercadoria.

Eu vivi os tempos do governo PSD e o problema foi que não se apostou nos transportes, os açorianos não conheciam as suas ilhas, muito menos o continente. e eram raras as empresas que exportavam para outras ilhas.

Sr. Rui eu sou um velho tonto que anda pelas novas tecnologias e não me comprometo a assinar porque escrevo com erros e ando à procura das letras no teclado gosto d eo ler e aos seus companheiros mas nunca comento por causa disso.

é um jovem promissor mas fique sabendo uma coisa o psd tem que pensar muito bem antes de falar em transportes porque acredite numa coisa, se o psd em 96 tivesse garantido transporte marítimo em vez de o matar e passagens para lisboa abaixo dos 300 euros ainda hoje era governo!

Jordão disse...

E pronto estão a empurrar as culpas uns pra cima dos outros e quem sofre são sempre os mesmo!

Assim vamos longe - praí pro Nordeste na SCUT que depois desconfio que terá portagens!