13 novembro 2008

Estado da Região

Ouvir hoje, no Estado da Região, o meu estimadíssimo Professor Carlos Amaral veio mostrar que dei bom uso aos seus ensinamentos, como bem se comprova nos posts que escrevi aqui, aqui, aqui. Autonomia pode-se resumir em poucas palavras: actualmente, é fazermos ouvir a nossa voz nos locais de decisão. Os exemplos, em relação a Bruxelas e à Comissão, são quase diários: foi o corte a quota da pesca há dois dias, foi ontem com o fim da “discriminação” a frutas e legumes.

5 comentários:

Papio cynocephalus disse...

Rui,
apesar de concordar, não sei o que poderiam neste caso particular os Açores fazer para evitar uma medida que é tão abrangente

Rui Gamboa disse...

Está a falar da questão das frutas e legumes? De facto, neste caso não poderia ser criado um regime de excepção. Mas este exemplo foi colocado para mostrar como as decisões são tomadas em Bruxelas e mesmo que seja impossível alterar o rumo de certas decisões, devemos estar presentes.

pedro lopes disse...

Pois é, meu caro amigo; foste um bom aluno. :)

Também eu estimo e respeito o professor Carlos Amaral, e tal como tu, gostei dos seus contributos para o dabate....e tb que se tivessem lembrado dele, pois é um estudioso destas matérias há largos anos.

Hoje, depois de conhecida a constituição do X GR dos Açores, podemos todos confirmar que também Carlos César advoga uma maior atenção e aproximação a Bruxelas e ao/com exterior. Não é por acaso que eleva a Direcção Regional dos Assuntos Europeus e Cooperação Externa à categoria de sub-secretaria, mantendo, e bem, o memso titular, Rodrigo Oliveira.

Quanto às frutas e legumes disformes, devo dizer que, tb nesta àrea, dou mais importância ao conteúdo do que à forma. ;)

Diogo disse...

Daily Show - McCain versus McCain na ajuda financeira de 700 mil milhões de dólares à banca:


McCain: Os fundamentos deste pacote são bons... são fortes...

McCain: Demonstra a incrível influência dos lobbies e grupos de interesses.

McCain: Acredito que este plano irá dar lucro.

McCain: É uma loucura e uma obscenidade, porque é um desperdício do dinheiro dos contribuintes.

McCain: Os contribuintes serão os primeiros a receber, isso é um ponto importante desta proposta.

McCain: Isto são jogos de poder da pior espécie.

McCain: Regressei a Washington, consegui sentar os republicanos à mesa.

McCain: Estes financiamentos obscuros, estas jogadas escandalosas.

McCain: Melhoraram o plano.

McCain: É péssimo. E é uma... É uma fonte de corrupção.

McCain: E estou em crer que será aprovado.


Vídeo legendado em português (2:43m):

CAVP disse...

Ele fala e fala bem.

Mas palpita-me que vamos continuar com vistas curtas durante mais algum tempo...

Quem lá anda esforça-se e faz um bom trabalho, mas é insuficiente, claramente insuficiente...

Poderiamos conseguir muito mais, trazer muito mais...mas é o que temos...