24 setembro 2008

Entrevista de Paulo Estevão

Paulo Estevão, candidato pelo PPM à Assembleia Legislativa Regional, em entrevista à RTP, defendeu que os Açores devem ter uma representação diplomática em diversos locais do mundo, onde os nossos interesses têm que ser defendidos por nós próprios. Entre esses, evidentemente e talvez o mais importante, Bruxelas. Fico contente por saber que já não sou o único a defendê-lo. Aqui neste blogue já o fiz por diversas vezes, mostrando claramente os benefícios que tal representação poderia ter. (aqui, aqui, aqui, aqui e aqui)

Também positivo o facto do PPM querer incluir o ensino da História dos Açore nos currículos. Não sou, em tese, contra o kit autonómico, porque há, de facto, um profundo desconhecimento dos símbolos regionais, porém o timing foi manifestamente infeliz, para não dizer incorrecto. A inclusão de uma cadeira sobre História dos Açores teria - também - como efeito positivo o alimentar nos açorianos o sentido de pertença a uma cultura, factor decisivo para uma verdadeira Autonomia.

Paulo Estevão não foi convincente quando tentou explicar a candidatura de Câmara Pereira por São Miguel. O facto do seu avô ser micaelense e de ter muitos primos cá, não pode, de forma alguma, ser suficiente. Se, como Estevão disse, o PPM não tinha alternativas, então o melhor seria não apresentar Câmara Pereira, porque esta candidatura terá um efeito contrário àquele que o PPM desejava.

1 comentário:

otaldocorvo disse...

Digas o que disseres, viva o PPM.